Chico Ferreira: Renan diz que crise é 'muito grave' e sugere busca de 'novo consenso'

Pesquisar este blog

domingo, 21 de maio de 2017

Renan diz que crise é 'muito grave' e sugere busca de 'novo consenso'


 

Renan diz que crise é 'muito grave' e sugere busca de 'novo consenso'
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil
O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), se manifestou na noite deste sábado (21) sobre a crise política que afetou o presidente Michel Temer após a delação da JBS. O congressista classificou a situação como “muito grave”, mas avaliou que o país mantém a “solidez democrática” e que as instituições estão funcionando. “As crises (a atual é política e muito grave) são pedagógicas. Elas forçam o engenho na busca de alternativas para que a Nação não purgue pelos pecados de seus dirigentes”, afirmou, em postagem no seu perfil oficial no Facebook. Sem mencionar diretamente o presidente, Renan afirmou que “ninguém está acima da lei” e que “todos estão sujeitos a investigações”, mas defendeu que o país se devote ao que rege a Constituição, em nome da estabilidade. “Nos últimos tempos, em nome de interesses (muito confessos), usurparam-se competências do Congresso com anistias indefensáveis; afastaram-se integrantes do Parlamento com liminares; lavou-se dinheiro público roubado; prendeu-se para delatar; sugeriram-se advogados para conduzir narrativas inverossímeis; procederam-se coercitivas desnecessárias; generalizaram-se culpas e julgou-se sem crime”, em perceptível menção à Operação Lava Jato. O senador sugere que é preciso buscar “um novo consenso”. “No presidencialismo, o chefe do Executivo precisa exercer esse protagonismo enquanto há tempo”, apontou, acrescentando críticas às gestões recentes. “O erro dos governos recentes – e por isso se desgastaram rapidamente – foi não ter exercido protagonismo na solução de saídas para o grave impasse que imobiliza e ameaça o país há 3 anos.Precisamos superar essa crise rapidamente em nome da esperança e do futuro”.