Chico Ferreira

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

SOBRADINHO: CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA CÂMARA MUNICIPAL ESTÃO SE ARTICULANDO

Os  candidatos  à  presidência  da câmara  municipal  de  Sobradinho  estão  se  articulando. Olivar que tem  o  apoio do  prefeito  Luiz  Vicente,  está  confiante  na  vitória  porque  sua  bancada  tem  o  maior  número  de  vereadores.   Surgiram  comentários de  que  o  candidato  da  situação  seria  trocado, mas  o presidente  do  legislativo  Gabriel  Lustosa  desmentiu os  boatos,  e  disse:  o  meu  candidato é  o  mesmo  de  Luiz  Vicente  Olivar. Por  o  outro  lado  o  nome  mais  cogitado  pela  oposição  é  o  do  vereador  do  PV  Manoel Messias  que  diz  que não  é  candidato, mas  significa  o  nome de maior  expressão  dentro  do  grupo,  segundo a avaliação dos  entendidos  da  política  de  Sobradinho.

Lama, lixo e mau cheiro causam transtornos no Mercado do Produtor de Juazeiro


sujeira ceasa Lama, lixo e mau cheiro causam transtornos no Mercado do Produtor de Juazeiro
lixo lama mercado do produtor Lama, lixo e mau cheiro causam transtornos no Mercado do Produtor de Juazeiro 
Lama, lixo e mau cheiro. Esses foram alguns dos problemas enfrentados por quem foi ao Mercado do Produtor de Juazeiro neste sábado (20). Devido às últimas chuvas, o ‘Ceasa’, como é conhecido, ficou com vários pontos alagados (o que já não é mais novidade) e a sujeira se acumulou, provocando muitas reclamações.
Além das águas das chuvas que ficam empoçadas, frutas e verduras são depositadas em locais incorretos, sendo que esses produtos acabam se espalhando pelos locais onde as pessoas transitam, e tudo se transforma numa grande dor de cabeça para quem precisa circular pela área.
Em meio à sujeira, veículos, carrinhos de frete e o ‘vai e vem’ das pessoas, o problema no local parece não ter fim, mesmo passando por várias lavagens realizadas pela prefeitura.
Mas parece que o pior é a falta de consciência dos comerciantes e pessoas responsáveis pela manipulação das frutas e verduras, que jogam os produtos em qualquer lugar, sem pensar nos transtornos que essa atitude pode causar. Lamentável. (foto 1: Adalberto Mariano)

Moradores do N-4 interditam rodovia em protesto contra falta de médicos


protesto N 4 Moradores do N 4 interditam rodovia em protesto contra falta de médicos

IMG 20141222 WA0002 Moradores do N 4 interditam rodovia em protesto contra falta de médicos


Os moradores do N-4 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho bloquearam na manhã desta segunda-feira (22) a BR-235, que liga Petrolina a Casa Nova (no norte da Bahia).
O protesto durou boa parte da manhã. Usando galhos de árvores e pneus,que depois queimados, os manifestantes interditaram a rodovia para reclamar contra a falta de médicos na comunidade, que estaria sem atendimento há mais de quinze dias.
Revoltados com a situação, os moradores estariam se mobilizando para uma nova manifestação nesta terça-feira (23).

Lava Jato: Janot quer nomes de políticos divulgados


  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai defender que os inquéritos contra políticos com mandato enviados em fevereiro ao Supremo como resultado da Operação Lava Jato não sejam mantidos sob sigilo no sistema da corte. Cada investigação deverá estar listada no sistema, vinculada publicamente a um número e às iniciais da autoridade, tornando essas informações públicas -- ainda que as peças dos processos não estejam disponíveis para consulta.
Janot acredita que o expediente adotado em alguns casos pelo Supremo de ocultar os inquéritos em seu sistema prejudica a transparência dos trabalhos do tribunal.(As informações são de Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo desta segunda-feira)

NOVO PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE JUAZEIRO SERÁ CONHECIDO NESTA SEGUNDA (22)



Está programada para as 19 horas desta segunda-feira (22) a eleição para escolha da Nova Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Juazeiro. Disputam o pleito os vereadores Damião Medrado (PSD) que registrou a chapa segunda-feira (15) com apoio de doze dos vinte e um parlamentares e Mitonho Vargas (PT) que reúne o apoio da oposição, mesmo sendo da bancada governista.

Na manhã desta segunda, o ex-deputado federal Jorge Khoury Hedaye, atual Secretário da Educação de Salvador, manteve contato com a nossa redação e como presidente local do Democratas disse que recomendou o vereador Amilton Ferreira, único representante da legenda na Casa Aprígio Duarte Filho, a votar com a oposição. Resta saber como vai se portar o vereador.

Por e-mail a Assessoria do vereador Damião Medrado encaminhou o histórico da vida política do parlamentar e candidato à presidência da Câmara Municipal:

Quem é Damião Medrado o candidato a Presidente da Câmara de Vereadores de Juazeiro

Com um sobrenome conhecido na política de Juazeiro, Medrado; o vereador Damião, exerce seu quarto mandato como vereador. Filho do ex-vereador João Medrado da Silva e Almira de Almeida Medrado. Casado com Josileide Rosa e pai de 02 filhos, Gleidson Medrado e Bianca Medrado, tendo como nora Siane da Silva e netos Tainá e João Guilherme. Evangélico, reside no Bairro Dom José Rodrigues, onde obtém sempre a maior votação dada a um candidato do bairro, exerceu todos os cargos da Mesa Diretora, sendo o vice que mais substituiu um presidente ao longo de dois mandatos consecutivos.

Mantém uma relação próxima e amigável com todos os vereadores independente de coloração partidária e está sempre disposto ao diálogo. Respeitado por sua fidelidade ao grupo partidário a que pertence, Damião tem se empenhado nos seus mandatos na busca de melhorias para o homem do campo: é dele o pedido de dezenas de poços tubulares para o interior e a extensão de quilômetros da rede elétrica do Programa Luz para Todos, atendidos através do PSD. Autor de diversas indicações ao Executivo Municipal, obteve o compromisso de duplicação do trecho da BA 210, entre o Mercado do Produtor e o Contorno de Sobradinho, do vice governador Oto Alencar, do seu partido.

Demonstrando fortalecimento político, eleito com 2259 votos em 2012, praticamente sem fazer campanha por motivos de saúde, conseguiu, 2.606 votos para o candidato eleito de seu partido, José Carlos Araújo em Juazeiro, em 2014. Apesar da existência de uma candidatura alternativa, lançada desde maio de 2014; Damião Medrado, no início do mês de Dezembro, incentivado pela maioria de seus pares, colocou seu nome à disposição para disputar a Presidência da Câmara de Vereadores de Juazeiro. Em menos de um mês conseguiu o apoio, por escrito, de doze vereadores e espera chegar até o próximo dia 22 de dezembro, dia da eleição, a quatorze vereadores lhe apoiando.

A chapa que apresentou e foi lida na sessão desta segunda feira, 15 de dezembro, seguindo os tramites regimentais, reúne o PSD, PT, Solidariedade e PROS, partidos com representatividade na Câmara de Juazeiro. (Fonte: Geraldo  José)

Pedreiro mata Capitão da Polícia Militar com três tiros em Teixeira de Freitas-BA; após perseguição e troca de tiros, assassino é morto



O subcomandante da 44ª Companhia Independente da Polícia Militar de Medeiros Neto, capitão José Roberto dos Santos, de 34 anos, foi assassinado a tiros no final da tarde deste domingo (21), na porta de um estabelecimento comercial na Rua Paragominas, antiga N-7, bairro Vila Caraípe (fundos da Estação Rodoviária) em Teixeira de Freitas-BA. As primeiras informações dão conta de que o Capitão estava bebendo na companhia de alguns amigos em um bar da localidade e teria iniciado uma discussão com o seu assassino que havia lhe tomado a sua arma e lhe promovido os disparos fatais e após assassinar o oficial, teria fugido sobre uma motocicleta levando a arma da vítima, um revólver, calibre 38, de propriedade particular do oficial. A Pistola Ponto 40 de uso exclusivo da polícia em que o capitão tinha posse, foi encontrada intacta no interior do seu veículo. O suposto autor do crime já foi identificado como sendo o pedreiro Jonilson Pereira Costa, vulgo “Jânio”, de 36 anos, natural de Juerana, município de Caravelas, que fugiu numa Moto, de cor azul, modelo XTZ Yamaha. Conforme o delegado Júlio César Telles, de plantão neste domingo na 8ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil e que está apurando o crime, nenhuma cápsula foi encontrada no local do assassinato, o que leva a certificar que a arma do crime foi realmente o revólver tomado do oficial. O capitão foi morto com um tiro no peito e dois nas costas. O oficial José Roberto dos Santos entrou para o oficialado da Polícia Militar da Bahia em 2004. Ainda como tenente foi o coordenador do Núcleo de Formação de Soldados da 44ª CIPM. Em 17 de janeiro de 2014 ele foi promovido ao posto de capitão. E em 19 de fevereiro de 2014, o capitão José Roberto foi nomeado subcomandante da 44ª Companhia Independente da Polícia Militar de Medeiros Neto. Atualmente o Capitão José Roberto também estava respondendo pelo comando da 44ª CIPM com base circunscricional nos municípios de Medeiros Neto, Itanhém, Vereda, Ibirapuã e Lajedão, porque o comandante major Robson Lopes Calmon se encontra de férias neste período. 
Pedreiro que assassinou capitão acaba morto horas depois 
O pedreiro Jonilson Pereira Costa, o “Jânio”, de 36 anos, que no final da tarde deste domingo (21), matou a tiros o capitão da Polícia Militar, José Roberto dos Santos, de 34 anos, na porta de um estabelecimento comercial acabou morto a tiros cinco horas depois, por volta das 23h00, no Bairro Nova América, na zona leste da cidade. Um confronto com policiais militares teria culminado na morte do assassino do capitão. As informações da apuração da polícia dão conta de que o capitão estava bebendo na companhia de alguns amigos no referido estabelecimento, quando foi surpreendido por um homem discutindo com a companheira e logo depois passou a espancá-la. O capitão que estava próximo teria se levantado e dado uma ”dura” no agressor e feito com que a agressão parasse sob pena de receber voz de prisão. No momento em que o capitão lhe deu as costas e retornava para a sua mesa, o homem teria enxergado a arma do oficial na cintura com a coronha voltada para trás. E tão logo subtraiu a arma do oficial, teria lhe disparado 2 tiros pelas costas e quando se virou, recebeu o terceiro tiro no peito. O militar ainda tentou fugir cambaleando e terminou caindo de bruços sobre a tampa de um bueiro da Embasa na porta do Bar. Após assassinar o oficial, o autor do crime teria fugido sobre uma Moto, de cor azul, modelo XTZ Yamaha, levando a arma da vítima, um revólver, calibre 38, de propriedade particular do oficial. A Pistola Ponto 40 de uso exclusivo da polícia em que o capitão tinha posse, foi encontrada intacta no interior do seu veículo. Ao ser morto no Bairro Nova América no final da noite deste domingo (21), a Polícia Militar recuperou a arma do oficial que havia sido levada pelo seu assassino, um revólver, marca Taurus, Calibre 38, Special. 
Por Athylla Borborema 

Fonte: Teixeira News

Erundina se recupera de infarto e cirurgia em SP

  Erundina (PSB-SP) foi uma das ausências mais notadas na cerimônia de diplomação dos candidatos eleitos, na sexta, na Sala SP. A deputada se recupera de um infarto que sofreu há cerca de um mês, informa Mônica Bergamo, hoje na sua coluna da Folha de S.Paulo.
Ela implantou stents em duas artérias. "Agora estou muito bem", afirma a parlamentar, que preferiu diminuir o ritmo neste fim de ano para começar 2015 em plena forma

Eletrobras será investigada após Petrobras



 A Procuradoria-Geral da República só começará a investigar encrencas na Eletrobras e outras estatais depois de terminar o caso Petrobras. Simplesmente não há braços para tanta falcatrua.
Enquanto isso, um dos empreiteiros presos na Lava-Jato não perdeu a capacidade de autoironizar-se. Disse ao seu advogado na semana passada: “Isso aqui é até bom para melhorar minha network”…
Criado em 2012, o projeto de remição de penas pela leitura, do Ministério da Justiça, já tem sua lista dos cinco livros mais lidos do ano nos presídios federais. Nenhum deles, de autoajuda.
O campeão é Crime e Castigo, de Dostoiévski – parece piada-pronta -, seguido de Incidente em Antares (Érico Veríssimo), Sagarana, Grande Sertão Veredas (ambos de Guimarães Rosa) e Dom Casmurro (Machado de Assis).
Pela portaria em vigor, a cada livro lido subtrai-se quatro dias da pena.(Lauro Jardim - Veja Online)

Novo ministro quer maior arrecadação para sair da crise


  O futuro ministro Joaquim Levy (Fazenda) indicou à equipe de transição que pretende tomar medidas que ampliem a receita da União e que não dependam de aval do Congresso. O governo está no 'cheque especial' e tem pressa para aumentar a arrecadação. A informação é de Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo de hoje.
Estão na mira a volta da cobrança da Cide, sobre a gasolina, e o aumento da alíquota de PIS e Cofins sobre produtos importados -- mas a proposta de recriação da CPMF, que depende da Câmara e do Senado, ainda não avançou.
Oposicionistas que estiveram em reuniões com Levy na semana passada se impressionaram com a perspectiva 'realista' do futuro titular da Fazenda. 'O Mantega dizia que o céu estava limpo mesmo quando caía um temporal na cabeça dele', brinca um deputado.

domingo, 21 de dezembro de 2014

‘Queria não acreditar’, diz filho ao falar sobre o pai, Roger Abdelmassih



Vicente Ghilardi. Médico especialista em reprodução humana. Filho do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de prisão pelo estupro de pacientes. Os dois trabalharam juntos por 14 anos.
Vicente condena o desaparecimento de uma parte dos embriões produzidos por Roger Abdelmassih. Diz que o pai nunca teve uma relação muito próxima com os filhos e conta como rompeu com ele.
Ele se apresenta como Vicente Ghilardi, prefere não usar o outro sobrenome, do pai: Abdelmassih.
Vicente, de 45 anos, é filho de Sônia, segunda mulher de Roger Abdelmassih, o ex-médico condenado a 278 anos de prisão por 56 estupros cometidos contra as próprias pacientes.
Vicente Ghilardi: Fica difícil a gente não acreditar em nada porque foram muitas vítimas. Eu queria não acreditar, para mim seria melhor, para toda a minha família.
Fantástico: Você estava lá dentro, Doutor Vicente. O senhor chegou a ver? Como é que era lá dentro?
Vicente Ghilardi: Eu nunca vi nada. E seu eu tivesse visto eu não estaria mais ali.
Vicente ainda era um bebê quando a mãe se casou com Roger, a quem ele chama de pai e de quem herdou o sobrenome. É médico especialista em reprodução assistida, como o pai, e trabalhou na clínica de Roger de 1996 até 2009.
Fantástico: Como era a relação de vocês?
Vicente Ghilardi: Ele era uma pessoa muito autoritária. Por conta disso que a minha relação com ele. Nada de briga, mas não era tão próxima.
Vicente não fala mais com o pai e está movendo um processo contra ele por danos morais e materiais. Alega que teve a carreira prejudicada e que herdou dívidas trabalhistas feitas por Roger.
Fantástico: Você gosta dele?
Vicente Ghilardi: Gostava muito dele, gosto muito dele. Ele é meu pai. A gente não pode agora querer também separar tudo. Fim, acabou, etc.
Roger foi preso, em agosto de 2014, no Paraguai. Nos três anos que passou foragido reclamava de ter sido abandonado pelos filhos. “Eu criei cinco, desgraçadamente, criei cinco. Nenhum saiu com a bandeira efetiva e todos viveram as minhas custas, debaixo de mim”, reclamou Roger Abdelmassih.
Vicente Ghilardi: Na época que ele resolveu fugir e que eu fui contra.
Fantástico: Você sabia que ele ia fugir?
Vicente Ghilardi: No dia. Que eu fui contra, eu falei: não faz isso que eu não vou mais falar com você. E esse foi o último dia que eu falei com ele.
Fantástico: Você sente saudade?
Vicente Ghilardi: Da parte familiar, de alguns momentos em família sim. Mas eu acho que eu estou tão chateado, tão triste com tudo que isso não está vindo muito para mim ainda. Essa saudade não está muito aflorada.
Ele decidiu dar esta entrevista depois da reportagem que mostrada no domingo (14) sobre o sumiço de embriões produzidos na clínica Abdelmassih.
No tratamento para engravidar, os óvulos são retirados da mulher, e os espermatozoides são coletados do marido. Em laboratório, o médico junta óvulos e espermatozoides e produz o embrião. É a fertilização in vitro. Parte dos embriões saudáveis é implantada na mulher.
Na reportagem do último domingo (14), quatro mulheres que fizeram o tratamento entre 1993 e 1999 disseram que estão procurando os embriões deixados na clínica de Roger.
Fantástico: Os embriões da clínica do Doutor Roger Abdelmassih estão com o senhor?
Vicente Ghilardi: Todos os embriões de pacientes que congelaram embriões até a data de dezembro de 2009 se encontram comigo. O mais antigo caso é de 1999.
Vicente explica que só o pai dele pode saber exatamente o que foi feito com os embriões de cada paciente antes de 1999, já que os prontuários médicos desapareceram quando a clínica foi fechada.
A artista plástica Silvia Franco fez o tratamento em 1997. Ela diz ter ouvido de Roger Abdelmassih que embriões viáveis também eram descartados.
Silvia Franco: Ele falou assim: descarto. Eu jogo fora. Como assim você joga fora? Eu pego, abro o tubinho de ensaio onde eles estão inseridos e despejo o liquido na pia do laboratório e eles vão pelo ralo.
Fantástico: Mesmo sendo embriões perfeitos?
Silvia Franco: Mesmo sendo embriões perfeitos. 
Fantástico: Algumas pacientes dizem que os embriões eram, ditos por Doutor Roger, de excelente qualidade. Se foram descartados foi um erro?
Vicente Ghilardi: Se eram de excelente qualidade e foram descartados não podia
Fantástico: Você acha que então existia um descontrole, uma falta de controle do material genético na clínica do Roger?
Vicente Ghilardi: Vendo como a gente trabalha hoje em dia, eu acho que as coisas poderiam ser diferentes. A gente poderia dar uma tranquilidade muito maior para essas pacientes.
Mas, esta semana, Luciana, que foi paciente de Roger Abdelmassih em 2002, procurou o Doutor Vicente e também não encontrou seus embriões.
“Expliquei que não eram todos os embriões que se congelava, você pode ter tido dez óvulos. Fertilizou sete, usou quatro, não significa que os outros três estão viáveis, tudo isso”, explica Vicente Ghilardi.
Três dias depois da reportagem de domingo (14), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária e as Vigilâncias Estadual e Municipal de São Paulo procuraram o Doutor Vicente. Ele entregou uma lista com os nomes dos donos dos 2 mil embriões que estavam na clínica de Abdelmassih.
Vicente Ghilardi: Todas as pacientes daquela clínica eram pacientes de um médico só.
Fantástico: Ele controlava tudo?
Vicente Ghilardi: Exatamente.

Ex-gerente da Petrobras diz ter alertado Graça Foster pessoalmente

Venina afirma ter denunciado irregularidades em contratos desde 2008.
Em entrevista ao Fantástico, ela fez apelo para funcionários denunciarem.


Glória Maria entrevista a ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca; entrevista foi ao ar neste domingo (21) (Foto: Reprodução/ TV Globo)

 

Ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca
falou ao Fantástico (Foto: Reprodução/ TV Globo)
A ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca diz que informou pessoalmente à presidente da empresa, Graça Foster, sobre irregularidades em contratos de diversos setores da companhia. Em entrevista exclusiva ao Fantástico, exibida na noite desde domingo (21), Venina contou que “percebeu que havia irregularidades” em 2008 e que, desde então, reportou problemas aos superiores, entre eles o gerente-executivo, diretores e a atual presidente. (volte a este texto daqui a pouco para ver o vídeo com a íntegra da entrevista)

A documentação com as denúncias da gerente, que está afastada, foi entregue ao Ministério Público, que investiga o escândalo de corrupção na Petrobras e que resultou na Operação Lava a Jato. A ex-gerente diz que "vai até o fim" nas denúncias e que outros funcionários da empresa possuem conhecimento dos problemas. Ela fez um apelo para que os outros funcionários sigam seu exemplo e também denunciem o que sabem sobre o esquema de corrupção.

Venina relata que as irregularidades na área de comunicação eram de conhecimento da então diretoria e que pagamentos por serviços não-prestados, contratos aparentemente superfaturados e negociações em que eram solicitadas comissões para as pessoas envolvidas eram formas de realizar o desvio. Segundo Venina, havia o "esquartejamento" de projetos para dificultar a fiscalização.

"Num primeiro momento, em 2008, como gerente-executiva, eu informei ao então diretor Paulo Roberto Costa, informei a outros diretores como a Graça Foster, e em outro momento, como gerente-geral, eu informei aos meus gerentes-executivos, José Raimundo Brandão Pereira e o Abílio [Paulo Pinheiro Ramos], que era meu atual gerente-executivo. Informei ao diretor [José Carlos] Cosenza (...) Informei ao presidente [José Sérgio] Gabrielli. Informei a todas a pessoas que eu achava que podiam fazer alguma coisa para combater aquele processo que estava se instalando dentro da empresa", afirmou.

Na época, Graça Foster, atual presidente da companhia, era diretora de gás e energia. Ela assumiu o atual cargo em fevereiro de 2012.

"Eu estive com a presidente [Graça Foster] pessoalmente quando ela era diretora de Gás e Energia. Naquele momento, nós discutimos o assunto. Foi passado uma documentação pra ela sobre processo de denúncia na area de comunicação. Depois disso, a gente (...) Ela teve acesso a essas irregularidades nas reuniões da diretoria-executiva. ", declarou Venina Velosa.

Paulo Roberto Costa, que chefiou a diretoria de Abastecimento de 2004 a 2012, assinou um acordo de delação premiada para contar o que sabe em troca de uma possível redução de pena. Atualmente, cumpre prisão domiciliar.
 
  
Encontro com Paulo Roberto Costa
Venina lembra que, ao relatar o problema ao atuar delator do esquema, Paulo Roberto Costa, foi acusada de “querer derrubar o governo”.

“Esse evento aconteceu quando eu fui apresentar o problema que ocorreu na área de comunicação, que eu cheguei na sala dele e falei, olha aqui tem só amostra do que tá acontecendo na área. Eram vários contratos de pequenos serviços onde nos não tínhamos conhecimento do tipo de serviço. Mas mostrava esquartejamento do contrato. Aí naquele momento, eu falei: eu nunca soube, tô sabendo isso agora e acho que é muito sério e temos que tomar atitude. Aí ele pediu que eu procurasse gerente responsável e pedisse pra que ele parasse”, relembra ela.

“Ai eu falei: ele já fez, não tem como eu chegar agora e falar vamos esquecer o que aconteceu e vamos trabalhar diferente. Existe um fato concreto que tinha que ser apurado e investigado. Ai nesse momento ele ficou muito irritado. A gente tava sentado na mesa da sala dele, ele apontou pro retrato do Lula, apontou pra direção da sala do Gabrielli e perguntou: você quer derrubar todo mundo? Ai eu fiquei assustada e disse: olha eu tenho duas filhas, eu tenho que colocar cabeça na cama e dormir e no outro dia eu tenho que olhar nos olhos dela e não sentir vergonha”.

Favorecimento do ex-marido
Venina rebateu uma denúncia de que teria beneficiado o ex-marido com um contrato feito na empresa. Ela relata que os contratos do ex-marido com a estatal eram de 2004 e de 2006 e que a condição que apresentou para assumir o relacionamento, em 2007, foi que o contrato fosse descontinuado.
"Foi anterior ao casamento e, no momento que a gente assumiu a relação, a condição foi: vamos interromper porque tem condições de ética dentro da Petrobras e minha que eu não posso continuar. E isso foi com parecer jurídico", afirma.

Convocação a demais funcionários
Venina lembra que, durante todo o processo da comunicação das irregularidades, foi assediada" e “pressionada” por assistentes da diretoria e da presidência que falavam: "tem muita gente envolvida, você não pode tratar essa questão dessa forma”. Em seguida, recebeu ameaças por telefone. Ela também nega ter participado de “esquemas” na estatal.

“Eu vou até o fim, sim. Eu não posso falar que eu não tenho, porque no momento que você denuncia, ao invés de você ver respostas pras denúncias, você vê simplesmente a empresa tentando o tempo todo falar: você não é competente, você fez um monte de coisa errada, o tempo todo as pessoas tendo que responder, mostrando documentos, que aquilo não é verdade. É uma máquina que passa por cima da gente”, diz.

Venina convoca também os funcionários da Petrobras a terem a mesma atitude. “Eu tenho medo? Eu tenho. Mas eu não vou parar. Eu espero que os empregados da Petrobras, porque eu tenho certeza que não foi só eu que presenciei, eu espero que os empregados da Petrobras criem coragem e comecem a reagir. Nós temos que fazer isso para poder realmente fazer a nossa empresa ser de volta o que era. A gente tem que ter orgulho, os brasileiros têm que sentir orgulho dessa empresa. Eu vou até o fim e estou convidando vocês pra virem também”.
Petrobras diz que tomou todas as providências
A Petrobras voltou a declarar que tomou todas as providências para elucidar os fatos citados por Venina e que não procede a informação de que não houve apuração das irregularidades apontadas - porque todas foram encaminhadas às autoridades competentes.
A empresa também repetiu que, possivelmente, a funcionária trouxe a público as denúncias porque foi responsabilizada por uma comissão interna. A Petrobras afirmou que Graça Foster só foi informada por email.
Gabrieli afirmou que nunca foi informado diretamente por Venina sobre a existência de corrupção na empresa.
A defesa de Paulo Roberto Costa declarou que praticamente todos os aspectos investigados pelo Ministério Público foram tratados na delação premiada e que não há como comentar incidentes específicos.
Procurada, a assessoria do ex-presidente Lula não se pronunciou. Os demais envolvidos não foram encontrados.
Entenda as denúncias de Venina
Há nove dias, uma reportagem do jornal "Valor Econômico" mostrou que a ex-gerente alertou diversas vezes sobre a ocorrência de irregularidades em contratos da Petrobras antes mesmo de a Polícia Federal (PF) deflagrar em março a Operação Lava Jato. Antiga subordinada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, ela foi transferida para a Ásia após denunciar o esquema de corrupção e, posteriormente, foi afastada.
O jornal relatou que, apesar das advertências, a direção da empresa não agiu para conter os desvios bilionários e ainda destituiu de seus cargos os executivos que tentaram barrar o esquema de corrupção.
A Petrobras afirmou, na terça-feira (16), que a ex-gerente só enviou em novembro deste ano, à presidente da estatal, Maria das Graças Foster, e-mail alertando sobre irregularidades na refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, e nas áreas de Comunicação do Abastecimento e à área de comercialização de combustível de navio (bunker).
"Os temas supracitados foram apenas levados ao conhecimento da Presidente através de email recente, de 20/11/2014, quando a empregada já havia sido destituída de sua função gerencial. Nesta data, as irregularidades na Comunicação do Abastecimento e na RNEST já haviam sido objeto de averiguação em Comissões Internas de Apuração, bem como as irregularidades da área de comercialização de combustível de navio (bunker) em Grupos de Trabalho", diz a Petrobras em nota.

Ainda segundo a estatal, Graça Foster respondeu a Venina no dia seguinte, "informando que estava encaminhando o assunto ao Diretor José Carlos Cosenza e ao Jurídico da Petrobras para averiguação e adoção das medidas cabíveis".

Aliados de Dilma atribuem à Lava Jato sua quase derrota




 Auxiliares da presidente Dilma Rousseff até hoje atribuem aos desdobramentos da Operação Lava-Jato a redução da diferença entre ela e Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições. O primeiro revés foi a divulgação de que, segundo o doleiro Alberto Youssef, Dilma e o ex-presidente Lula sabiam das fraudes na Petrobras. O segundo foi a internação de Youssef em um hospital de Curitiba dois dias antes das eleições. A internação repentina alimentou boatos de que o doleiro, delator do esquema de corrupção, teria sido envenenado por aliados do governo.
As feridas desta campanha e de eleições anteriores deixaram os auxiliares mais próximos da presidente ainda mais desconfiados sobre qualquer assunto relacionado à Polícia Federal. O temor tem ganhado contornos de paranoia. Recentemente, um assessor do Palácio do Planalto se esquivou de um encontro com um assessor da PF com receio de que, se a conversa viesse a público, poderia ser interpretada como uma tentativa de interferência do governo na PF por causa da Operação Lava-Jato.
Com tantas nuances em jogo, a presidente teria resolvido deixar as trocas no Ministério da Justiça e na PF para ocasião menos tensa no futuro.(De O Globo)

Ex de Suzana Von Ricthofen, Daniel Cravinhos vai se casar este mês


Ex de Suzana Von Ricthofen, Daniel Cravinhos vai se casar este mês


Daniel Cravinhos, comparsa de Suzana Von Ricthofen no assassinato dos pais da jovem, também já tem novo amor. No próximo sábado (27), ele se casará com a biomédica Alyne da Silva Bento, 27 anos, filha de uma agente penintenciária. Daniel foi condenado a quase 39 anos de presião pela morte dos sogros em 2002 e irá aproveitar a saída de Natal e Ano-Novo para oficializar o casamento. O casal se conheceu em novembro de 2012, quando ela foi ao presídio de Tremembé visitar um irmão que foi preso por suposta participação em um roubo. Apesar do passado criminoso, ele tem o apoio dos pais da noiva. "Acredito muito em Deus. Nada é por acaso. Alguém teria que dar uma nova chance ao Daniel e se, Ele me escolheu, eu aceito", disse a sogra, Sumaia Bento, de 52 anos. Além do casamento, a família da noiva organizou uma cerimônia para pouco mais de cem convidados. A ideia dos noivos, inicialmente, era apenas um almoço, mas a mãe de Alyne fez questão de festejar a união. Em outubro, quem fez  a "fila andar" foi Suzana que, segundo a Folha, casou-se com a ex-namorada de Elize Matsunaga, presa por ter esquartejado e matado o marido

Aumenta número de candidatos à delação premiada




 Ao menos 12 delações premiadas já foram firmadas nas investigações ligadas à operação “lava jato”. É o maior número de acordos numa investigação recente, de acordo com o jornal O Globo.
Já decidiram colaborar o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa; o doleiro Alberto Youssef; os empresários Julio Camargo e Augusto Mendonça, da Toyo Setal; Pedro Barusco, ex-gerente da diretoria de Serviços da Petrobras; Carlos Alberto Pereira da Costa, gestor de empresas de Youssef; e Luccas Pace Júnior, assistente da doleira Nelma Kodama. Outros cinco nomes são sigilosos.

Bancos peitam Justiça e seguram dinheiro da Lava Jato




 Bancos privados têm tentado segurar parte do dinheiro que está bloqueada nos processos da “lava jato”. O bloqueio foi determinado pelo juiz federal Sergio Moro e atinge executivos de construtoras, doleiros, lobistas e ex-dirigentes da Petrobras, entre outros, até o montante de R$ 20 milhões para cada um deles.
O problema é que, com a decisão, esses valores têm de ser transferidos para contas judiciais, na Caixa Econômica Federal. As instituições financeiras alegam que usam o dinheiro em aplicações de longo prazo e pedem que Moro aguarde o vencimento dos títulos, para evitar grandes descontos na venda dos papéis. Como os valores envolvidos são altos, a retirada pode afetar outros clientes.

CASAL DE JOVENS É ARRASTADO POR TROMBA D'ÁGUA EM CACHOEIRA NO MUNICÍPIO DE SAÚDE, BA


O casal KLEVERTON MOREIRA de 22 anos e ANA CLARA AMARAL de 36 anos desapareceram quando visitavam a Cachoeira do Paulista, localizada no município de Saúde na tarde desta sexta-feira (19/12) por volta das 17hs.

Segundo informações preliminares passadas a Polícia, ás vitimas se encontravam em uma pedra quando uma tromba d’água passou e arrastou os dois para um poço, populares suspeitaram que algo de errado aconteceu, pois os mesmos teriam sido vistos minutos antes e apenas o veiculo NISSAN Tido de placa NZB-2608 licença de Senhor do Bonfim foi encontrado no local.

Com isso a Polícia Militar foi acionada que de imediato começou a realizar buscas que foi sessado durante a madrugada por causa de iluminação, na manhã deste sábado (20/12) o Corpo de Bombeiros de Senhor do Bonfim foi acionado e retomou as buscas e de acordo com informações o corpo de ANA CLARA foi localizado, porém o corpo de KLEVERTON encontra-se desaparecido, as buscas continuam no local. O casal reside em Senhor do Bonfim e com esta fatalidade a comunidade bonfinense e da região ficaram bastante comovidos.

Portal Jaguarari

Homem é morto a tiros no Bairro Mandacaru, em Petrolina


Por volta das 07h00 desta sexta-feira (19), a Central de Operações do 5º BPM recebeu a informação através de um oficial do 5º BPM que se deslocava para o batalhão ouvindo o rádio e escutou que havia ocorrido um homicídio no Bairro Mandacaru, em Petrolina, sendo que o mesmo ligou ao serviço 190 para confirmar, porém até aquele momento a Central de Operações não havia tomado conhecimento do fato e não havia recebeu nenhum tipo de solicitação para o local, quando minutos depois o SAMU acionou o 190 para ir em apoio em uma prestação de socorro com vítima de disparo de arma de fogo. A Central empenhou a viatura 26278 para fazer deslocamento até o local, já que a viatura de área estava mudando o efetivo de serviço. Chegando ao local ficou constatado o óbito da vítima Fabiano José da Silva Gericó, de 39 anos. A GT 26274, que assumiu o serviço logo após, se deslocou ao local juntamente com o Oficial de Operações de serviço, para averiguar e fazer o isolamento do local. Segundo informações de populares, dois elementos em uma moto, não identificados, efetuaram vários disparos contra a vítima que entrou em óbito no local. O corpo foi removido pelo IML para ser realizado o procedimento legal. A Polícia Civil vai investigar o caso.
Ascom 5º BPM/PMPE/Foto: Reprodução/WhatsApp

Fonte: Blog Diniz K-9

Filha de Jefferson assume PTB e quer distância de Dilma




 Sigla será independente do Planalto, diz ela; o pai, autor da denúncia do mensalão, está preso em regime semiaberto
De Bernardo de Mello Franco - Folha de S.Paulo
O PTB elegeu por unanimidade a sua nova presidente nacional. A ungida é Cristiane Brasil, 41, uma vereadora carioca que ainda terá que esperar até fevereiro para assumir o primeiro mandato de deputada em Brasília.
A escolha soaria estranha se a nova dirigente não fosse filha de Roberto Jefferson, autor da denúncia do mensalão. O ex-deputado está preso em regime semiaberto, mas ainda dá as cartas no partido.
'Ele não está proibido de falar no telefone. Mas quem teve que fazer o trabalho fui eu', diz Cristiane.
Faixa preta de caratê, a petebista indica que seguirá o estilo combativo do pai. Na primeira entrevista no cargo, ela acusa o PT de idealizar e comandar o esquema de corrupção na Petrobras.
'Esse esquema foi criado para financiar o projeto de poder do PT. Eles escolheram a Petrobras para fazer dali o caixa de arrecadação e se perpetuar no poder', diz. 'É o maior escândalo de corrupção da história do Brasil. Muito maior do que o mensalão.'

Petrobras esteve a serviço da base partidária



De tudo que já se sabe, consolida-se a evidência de que a Petrobras foi mesmo “privatizada” por interesses do PT e aliados
O Globo - Editorial
O trabalho de investigação do esquema de corrupção que tomou o poder na Petrobras pela via do lulopetismo avança com razoável velocidade. Ontem, em Curitiba, foro da Operação Lava-Jato, a geóloga Venina Velosa prestou longo depoimento a representantes do Ministério Público, no qual garantiu que toda a cúpula da estatal, incluindo a presidente Graça Foster, sabia do petrolão.
Até quarta, a Justiça já havia aceitado denúncias contra 39 pessoas, entre elas o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, ainda firme em negar qualquer participação no esquema. Junto com Cerveró, foi arrolado Fernando Baiano, tido como operador do PMDB junto à Petrobras. Entenda-se: facilitador de negócios pelos quais captava propinas e as destinava, talvez não na totalidade, a políticos peemedebistas.
E também ontem cresceu a frente do escândalo acompanhada com mais atenção, a dos políticos beneficiários do assalto à estatal. Enquanto o ministro do Supremo Teori Zavascki homologava a delação premiada do doleiro Alberto Youssef, o jornal “O Estado de S. Paulo” divulgava relação de 28 políticos que teriam sido citados pelo ex-diretor da empresa Paulo Roberto Costa.
Alguns nomes já haviam circulado: ex-governador Sérgio Cabral, ministro Edison Lobão, senador Renan Calheiros, entre outros. A lista reproduz a base partidária do governo: 10 do PP, 8 do PT, 8 do PMDB, 1 do PSB e 1 do PSDB. Este, um ponto fora da curva, o tucano Sérgio Guerra, já morto, para quem teriam sido destinados R$ 10 milhões em troca de um trabalho de sabotagem no Senado contra a CPI da Petrobras. Uma história a ser esclarecida. Assim como a de um outro morto, Eduardo Campos (PSB), da base do governo até abrir a dissidência que levaria Marina Silva a disputar as eleições presidenciais.
Além de Lobão, outro ex-participante do ministério de Dilma na lista é a senadora petista Gleisi Hoffmann, do Paraná, estado em que o doleiro Youssef transita com desenvoltura. Há, ainda, o ex-ministro Antonio Palocci, mas este chama a atenção porque teria captado dinheiro do esquema para a campanha de Dilma em 2010. O PT e a presidente podem alegar que aquela eleição é fato transitado em julgado.
As tensões em torno da implicação de políticos no escândalo tendem a subir. Como é da regra das delações premiadas, Paulo Roberto, para poder continuar em prisão domiciliar, precisa provar o que disse. Inclusive sobre o rateio de propinas entre PT, PMDB e PP.
Falta esclarecer muita coisa. Como o destino do dinheiro “por fora” amealhado pelos diretores Cerveró e Sérgio Duque, este apadrinhado pelo ex-ministro e mensaleiro condenado José Dirceu. Assim como é crucial conhecer-se o papel nisso tudo do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, militante petista fiel.
De tudo que já se sabe, consolida-se a evidência de que a Petrobras foi mesmo “privatizada” por interesses do PT e aliados.

Pago com nosso dinheiro




 O Senado paga R$ 10 milhões por um contrato de telefonia celular de 30 meses, que inclui aparelhos de última geração para todas as Excelências, com troca pelos modelos mais modernos sempre que houver novidades no mercado.

OK?
 Não!
Há parlamentares que não se sentem à vontade usando aparelhos que não sejam de sua propriedade. Para eles, o Senado decidiu comprar novos celulares, todos também de primeira linha. E, para que os outros não se sintam diminuídos, comprou os novos celulares para todos. Já que o dinheiro é nosso, não deles, foram generosos: para 81 senadores, 84 aparelhos. Nada de regular micharia. E, claro, a conta destes telefones é o Senado que paga com nosso dinheiro.(Carlos Brickmann)

sábado, 20 de dezembro de 2014

Chuva forte em Petrolina neste sábado(20)



chuva em petrolina

As chuvas que caíram em Petrolina nesta manha de sábado, começaram ontem a tarde. Durante a madrugada choveu em vários pontos da cidade e do interior. Neste sábado(20), a chuva está com maior intencidade em bairros perifericos da cidade.
A defesa civil alerta para a continuidade das chuvas durante o final de semana  e se coloca a disposição de moradores da periferia ou do interior atraves do telefone  3862-9164. As ligações podem ser feitas também no 156, através da Ouvidoria.

É absurdo cassar Bolsonaro. A solução é outra


 Eu teria dificuldades até para imaginar um personagem mais detestável do que o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). Ele consegue abraçar todas as causas que, a meu ver, são as erradas e ainda o faz sem qualquer traço de bom humor, o que já perdoaria alguma coisa.
Parecem-me absurdas, porém, as iniciativas para cassar-lhe o mandato pelas bobagens que costuma dizer. Não sou fã de privilégios como a imunidade parlamentar, mas, se há uma restiazinha de sentido neste instituto, ela está justamente na blindagem de congressistas em relação aos chamados delitos de opinião. Se nem um deputado é livre para dizer o que pensa, não importando o conteúdo desses pensamentos, fica difícil classificar o Brasil como um país onde vige a liberdade de expressão.
Se queremos evitar figuras como Bolsonaro no Legislativo, o caminho não é a criminalização da palavra, mas mudanças no sistema eleitoral. Pelas regras atuais, cada vez que Bolsonaros e seus genéricos se envolvem numa polêmica estão semeando os sufrágios que colherão em sua próxima vitória eleitoral.
O problema é que nosso modelo de voto proporcional puro em âmbito estadual considera apenas as vozes favoráveis ao candidato, sem atribuir nenhum peso ao conjunto eventualmente muito maior de cidadãos que o repudia. O jogo mudaria se adotássemos o sistema distrital, pelo qual cada postulante precisa conquistar a maioria dos eleitores de uma dada área, como se fosse um pleito majoritário. Aí, são computados não apenas os votos positivos como também as rejeições.
Trata-se, a meu ver, de um modo mais democrático, mas que não vem sem efeitos colaterais. O distrital dificulta a vida dos candidatos exóticos e muito estridentes, mas também tende a reduzir a diversidade da Câmara, que é uma queixa recorrente nos países que adotam esse sistema.
Toda solução desencadeia também os seus problemas.

(Hélio Swartsman - Folha de S.Paulo)

Ninguém lhe quer: bancada do PMDB dá recado a Renan




 
 A bancada do PMDB no Senado vai dar um ultimato ao presidente da Casa, senador Renan Calheiros (AL), que deseja disputar a reeleição em fevereiro. Há uma mobilização entre os peemedebistas para que ele desista de concorrer ao cargo. O motivo é a reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” que revelou que o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa citou no acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal o nome de Renan entre os políticos supostamente beneficiados pelo esquema de corrupção na Petrobras.

Oficialmente, Renan nega sua candidatura à reeleição. Mas, nos bastidores, tem trabalhado intensamente para ficar no cargo. Em conversas reservadas com senadores peemedebistas, ele afirmou que não tem envolvimento com Paulo Roberto Costa e que não há nada contra ele no escândalo de corrupção na estatal.

Essas conversas funcionaram como uma tentativa de tranquilizar aliados que demonstraram insegurança com a situação de Renan. O temor de peemedebistas é que a reeleição do senador alagoano possa criar uma crise política no Senado com o aprofundamento das investigações da Operação Lava Jato.

Venina Velosa tem sofrido 'um assédio moral muito forte', afirma advogado


Venina Velosa tem sofrido 'um assédio moral muito forte', afirma advogado


Ubiratan Mattos, advogado da ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca, afirmou nesta sexta-feira (19), que sua cliente tem sofrido assédio moral desde que divulgou documentos com os quais garantia ter avisado sobre os desvios atualmente investigados à presidência da Petrobras. "Um assédio moral muito forte. O meu primeiro contato com ela, ela estava em Cingapura. Praticamente desalojada com as filhas. Uma mulher divorciada, num estado de vulnerabilidade muito forte", disse Mattos. De acordo com o advogado, o depoimento prestado pela ex-gerente nesta sexta tinha como objetivo garantir sua segurança. “O objetivo do depoimento foi trazer ao conhecimento da força-tarefa os documentos que estavam em poder da minha cliente. Isso até por uma questão de segurança, porque ela é a detentora dessas informações e nós a orientamos no sentido de que ela entregasse isso para a força-tarefa”, explicou. Foram confirmadas, durante a conversa de cerca de cinco horas, informações publicadas anteriormente. No entanto, Mattos não deu maiores detalhes sobre o que foi dito.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Assassino de ex-policial federal é transferido para Petrolina



Na noite dessa quarta-feira (17), por volta das 22h30, foi transferido, em um voo oriundo do Rio Grande do Norte, para Petrolina, a pessoa de Péricles Gomes da Silva, de 30 anos, o qual é acusado de, juntamente com Alexsandro da Silva, terem assassinado com 4 tiros o ex-policial federal Marcio Roberto Figueiredo Habib. O homicídio se deu na noite de 15/09/2013, no Bairro Palhinhas, nesta cidade. “Habib” trabalhou na Delegacia da Polícia Federal em Juazeiro-BA até 2008, quando foi condenado pela Justiça Federal a perda do cargo de agente. O homicida Péricles estava morando no Rio Grande do Norte, onde foi preso em novembro de 2014, e nessa quarta-feira foi transferido para esta comarca para responder pelo crime cometido. O outro acusado continua foragido.
Ascom 26ª DESEC/PCPE

Fonte: Blog Diniz K-9

PSDB responde a Toffoli: haverá 3º turno, sim senhor!

  Ainda com dificuldade de digerir a vitória de Dilma Rousseff sobre Aécio Neves no dia 26 de outubro, o PSDB emitiu uma nota nesta sexta-feira (19) atacando o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Dias Toffoli, e garantindo que vai ter 'terceiro turno', sim. A legenda promete continuar apresentando recursos judiciais na tentativa de cassar o segundo mandato da presidente petista, alegando fraude eleitoral.
Divulgado um dia após a diplomação de Dilma, o texto sustenta que o PT fez uso de mecanismos suspeitos para vencer a eleição presidencial (como dinheiro possivelmente desviado de esquemas na Petrobras), e crava que o TSE fez vistas grossas aos crimes porque seu presidente, Toffoli, ainda se comporta como advogado do PT.
A nota do PSDB é uma resposta ao discurso de Toffoli durante a diplomação de Dilma. O magistrado precisou ressaltar que as contas da campanha petista foram aprovadas e que não há espaço no TSE para tapetão. Horas antes, os tucanos haviam entrado com mais uma representação na Justiça Eleitoral, solicitando o impedimento da petista e a diplomação de Aécio em seu lugar.
Abaixo, a nota do PSDB em resposta ao ministro:
Dilma Rousseff foi diplomada ontem como presidente reeleita do país. Com tantas suspeitas ainda pairando sobre a campanha que a levou à vitória em outubro, é no mínimo temerário que o TSE tenha lhe garantido o certificado. Talvez fosse diferente se um ex-advogado do PT não comandasse a Justiça Eleitoral brasileira.
A cerimônia ontem era de Dilma, mas quem ocupou a ribalta foi José Antonio Dias Toffoli. O presidente do TSE abandonou a postura que se espera de um magistrado para envergar a toga de um militante político. Lembrou os velhos tempos em que defendia gente como José Dirceu e Delúbio Soares, condenados que agora têm no currículo uma longa temporada na Papuda.
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral decretou que a eleição presidencial é “página virada”. Foi mais longe e, enfático, ordenou que quem levanta suspeitas sobre os métodos empregados pela campanha vitoriosa “se calem”. “Não há espaço para terceiro turno que possa vir a cassar o voto destes 54.501.118 eleitores”, discursou, para delírio dos petistas presentes.
O mais engajado militante talvez não conseguisse produzir melhor peça de campanha. A experiência pregressa de Toffoli como causídico talvez o tenha ajudado nesta hora: inclui serviços prestados ao PT e à CUT durante nove anos, um cargo na Casa Civil à época em que Dirceu a comandava e a chefia da Advocacia-Geral da União durante o tempo em que o governo Lula esteve sob o fogo cruzado das investigações do mensalão.
Por que os brasileiros que desconfiam da lisura da campanha que deu mais um mandato a Dilma Rousseff devem calar-se? Por que devem ignorar as denúncias de que dinheiro sujo desviado de cofres públicos pode ter financiado a vitória petista? Por que devem esquecer o uso da máquina estatal para beneficiar a candidata oficial, como aconteceu nos Correios? Por que devem sublimar o mais explícito terrorismo já praticado numa eleição no país?
Num país (ainda) democrático como o Brasil, acima de tudo estão as instituições e o sagrado direito de manifestação. A legalidade da vitória da presidente é indiscutível. Mas isso não significa calar-se diante das monumentais evidências de que a eleição foi ganha pelo PT com métodos espúrios, com procedimentos inadequados, com aviltamento de instituições, com fortes suspeitas de ligações do partido da candidata com a corrupção.
É por isso que as forças de oposição têm recorrido, e continuarão recorrendo, à Justiça para que prevaleçam os preceitos legais, para que as instituições sejam respeitadas, para que a lisura das disputas eleitorais assegure que a vontade do eleitor seja sempre soberana. O ex-advogado do PT pode até querer defender os 54.501.118 de cidadãos que optaram por Dilma Rousseff, mas não pode pretender calar os 51.041.155 de brasileiros que preferiram Aécio Neves.

Roseana sai mas fica com pensão vitalícia de R$ 24 mil




 A ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB), que renunciou ao mandato no último dia 10, voltará a receber uma pensão vitalícia de R$ 24 mil mensais. O ato, assinado pelo governador em exercício do Estado, Arnaldo Melo (PMDB), foi publicado no Diário Oficial do estado no dia 12, dois dias após a renúncia da peemedebista.
A concessão de pensões vitalícias a ex-governadores é controversa, embora todos os ex-governadores do Maranhão — ou seus cônjuges — a recebam.
Adversários políticos da ex-governadora Roseana Sarney informaram que vão recorrer à Justiça contra a concessão da aposentadoria vitalícia, tanto para ela como para os outros ex-governadores.

Congresso: pior do que o atual, só o próximo





 E a reforma política, cantada em prosa e verso durante a recente campanha presidencial? Saiu pelo ralo, porque nem Dilma Rousseff tocou outra vez no tema, nem o Congresso aproveitou o final de mandato senão para votar, ao menos para equacionar o trabalho da próxima Legislatura. Sequer o Supremo Tribunal Federal deu continuidade ao julgamento que proíbe empresas privadas de doarem recursos para as campanhas. Os três poderes da República demonstraram não falar a sério quando levantaram a ponta do tapete da reforma política, preferindo deixar a sujeira debaixo dele.

A presidente da República chegou a anunciar a disposição de ver convocada uma Assembleia Constituinte exclusiva, aliás, uma grossa bobagem, mas sentindo a impossibilidade jurídica da proposta, esqueceu da reforma propriamente dita.
Deputados e senadores reeleitos sob a promessa de mudarem regras eleitorais e institucionais demonstram que não falavam a sério. Afinal, seria suicídio alterar a legislação que serviu para preservar seus mandatos.
Na mais alta corte nacional de justiça, quatro votos já haviam sido dados pela proibição das doações empresariais, mas há mais de seis meses que o ministro Gilmar Mendes pediu vistas e engavetou sua opinião.
Em suma, nada de novo sob o sol. As campanhas continuarão à mercê de operações de compra e venda, quer dizer, os eleitos beneficiados pelas doações pagarão aprovando projetos de interesse dos doadores. A diminuição do número de partidos esbarra na lambança do aluguel oferecido pelas pequenas legendas a quem se dispuser pagar mais. Do voto distrital não se cogita porque levará o eleitor a cobrar mais empenho dos eleitos. Nem se pensa na revogação da reeleição, que como regra dobra o tempo de permanência dos governantes no governo, precisamente pelo uso imoral das estruturas do poder. Acabar com a triste figura dos suplentes de senador significa suprimir sinecuras e obrigar os senadores eleitos a trabalhar. Mudar a forma de indicação dos ministros do Supremo Tribunal Federal equivale a tirar do Executivo a possibilidade de escolher juristas amigos e amestrados. Trocar o presidencialismo pelo parlamentarismo seria fechar as portas para o caudilhismo.
E assim por diante, ou seja, ninguém quer mudar nada capaz de alterar privilégios e distorções. Razão tinha o dr. Ulysses quando sentenciou que pior do que o atual Congresso, só o próximo.

(Carlos Chagas)

Marcos Valério revela os segredos do mensalão e envolve Lula



Faltavam catorze minutos para as 7 da manhã da última quarta-feira quando o empresário Marcos Valério, o pivô financeiro do mensalão, parou seu carro em frente a uma escola, em Belo Horizonte. Alvo das mais pesadas condenações no julgamento que está em curso no Supremo Tribunal Federal (STF), ele tem cumprido religiosamente a tarefa de levar o filho todos os dias ao colégio. Desce do carro, acompanha o menino até o portão e se despede com um beijo no rosto. Chega mais cedo para evitar ser visto pelos outros pais e alunos e vai embora depressa, cabisbaixo. "O PT me transformou em bandido", desabafa. Valério sabe que essa rotina em breve será interrompida. Ele é o único dos 37 réus do mensalão que não tem um átimo de dúvida sobre seu futuro. Na semana passada, o publicitário foi condenado por lavagem de dinheiro, crime que acarreta pena mínima de três anos de prisão. Computadas as punições pelos crimes de corrupção ativa e peculato, já decididas, mais evasão de divisas e formação de quadrilha, ainda por julgar, a sentença de Marcos Valério pode passar de 100 anos de reclusão. Mesmo com todas as atenuantes da lei penal brasileira, não é improvável que ele termine seus dias na cadeia. Valério tem culpa no cartório, mas fica evidente que ele está carregando sobre os ombros uma carga penal que, por justiça, deveria estar mais bem distribuída entre patentes bem mais altas na hierarquia do mensalão. É isso que mais martiriza a alma de Valério neste momento, uma dor que ele tenta amenizar lembrando, sempre que pode, que seu silêncio sobre os responsáveis maiores acima dele está lhe custando muito caro.
Apontado como o responsável pela engenharia financeira que possibilitou ao PT montar o maior esquema de corrupção da história, Valério enfrenta um dilema. Nos últimos dias, ele confidenciou a pessoas próximas detalhes do pacto que havia firmado com o partido. Para proteger os figurões, conta que assumiu a responsabilidade por crimes que não praticou sozinho e manteve em segredo histórias comprometedoras que testemunhou quando era o "predileto" do poder. Em troca do silêncio, recebeu garantias. Primeiro, de impunidade. Depois, quando o esquema teve suas entranhas expostas pela Procuradoria-Geral da República, de penas mais brandas. Valério guarda segredos tão estarrecedores sobre o mensalão que não consegue mais reter só para si - mesmo que agora, desiludido com a falsa promessa de ajuda dos poderosos que ele ajudou, tenha um crescente temor de que eles possam se vingar dele de forma ainda mais cruel. Os segredos de Valério, se revelados, põem o ex-presidente Lula no epicentro do escândalo do mensalão. Sim, no comando das operações. Sim, Lula, que, fiel a seu estilo, fez de tudo para não se contagiar com a podridão à sua volta, mesmo que isso significasse a morte moral e política de companheiros diletos. Valério teme, e fala a pessoas próximas, que se contar tudo o que sabe estará assinando a pior de todas as sentenças - a de sua morte: "Vão me matar. Tenho de agradecer por estar vivo até hoje".

Emocionada, Renata entrega diploma a Câmara




A ex-primeira-dama de Pernambuco Renata Campos entregou o diploma de governador de Pernambuco ao ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB), afilhado político de seu ex-marido e ex-governador Eduardo Campos. Discreta, Renata não quis conversar com a imprensa ao entrar no Teatro dos Guararapes para a cerimônia de diplomação do socialista realizada na tarde desta sexta-feira.
O socialista afirmou que o ato da diplomação é democrático. Também disse estar feliz e garantiu que vai honrar os votos dados pelos pernambucanos. "Estamos muito próximos do dia 1º e muito motivados para trabalhar pelo estado". Sobre a diplomação da presidente Dilma Rousseff (PT), que aconteceu nesta quinta-feira, Câmara afirmou que os dois combinaram para dialogar sobre as prioridades de Pernambuco e do Nordeste."Dilma foi muito receptiva e simpática. Ela conhece muito bem os desafios e se colocou à disposição para ajudar", declarou.
Com relação às prioridades do estado, Paulo Câmara afirmou que há muitas obras na área de infraestrutura, especialmente a hídrica e a rodoviária, que estão sendo negociadas junto ao governo federal. Acrescentou, ainda, que há uma série de projetos que ele quer levar para consolidar a educação, a saúde e a segurança do estado e mostrar que é possível levar o modelo de gestão adotado pelo PSB para outras federações do país.
Sobre o suposto envolvimento do ex-governador e de seu ex-padrinho político, Eduardo Campos, e do senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB) no esquema de corrupção da Petrobras, Paulo Câmara saiu em defesa dos dois. "É uma situação em que não há provas e não mostra nenhum fato", disse, acrescentando que Campos sempre defendeu investigações profundas na estatal. Paulo Câmara disse também estar consciente de que Eduardo fez um grande governo, sempre em favor do estado com muita seriedade. "Eduardo combatia como poucos a corrupção neste país". Os nomes de Eduardo Campos e Bezerra Coelho estariam entre os 28 citados pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa em sua delação premiada.
A cerimônia foi conduzida pelo presidente do Tribunal Regional de Pernambuco (TRE-PE), Fausto Campos. Na ocasião, também foram diplomados o vice-governador eleito Raul Henry (PMDB) e o senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB). O evento também vai diplomar os 25 deputados federais e os 49 deputados estaduais eleitos por Pernambuco. Algumas autoridades, como o governador João Lyra Neto e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, ambos do PSB, acompanham a solenidade.