Chico Ferreira

Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Loures devolve R$ 35 mil que faltavam na mala da JBS



O deputado afastado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-MG) informou nesta quinta-feira (25) ao Supremo Tribunal Federal que realizou na quarta (24), em uma conta do STF, o depósito judicial dos R$ 35 mil que faltavam entregar à Justiça. Ele entregou comprovante do depósito judicial feito na quarta-feira (24).

Loures foi filmado pela Polícia Federal recebendo uma mala de dinheiro em um restaurante nos Jardins, na capital paulista. Na última terça-feira (23), ele comunicou oficialmente ao Supremo que devolveu à Polícia Federal a mala, com R$ 465 mil (em 9.300 notas de R$ 50). O delator Ricardo Saud, diretor da J&F, disse que entregou pessoalmente a Loures a mala com R$ 500 mil. Na petição que protocolou no Supremo, o deputado não explica por qual motivo só devolveu agora a diferença de R$ 35 mil.

"Rodrigo Santos da Rocha Loures, por seus advogados, nos autos da ação cautelar nº 4328, vem perante Vossa Excelência informar que realizou na data de ontem o depósito judicial de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), quantia esta relacionada à investigação conduzida nos autos do inquérito nº 4483, conforme guia de depósito judicial ora apresentada (doc. 1). O referido montante encontra-se depositado na conta nº 86400176-5, agência nº 3133, da Caixa Econômica Federal", diz a petição enviada ao ministro Fachin.

Mulher de Eduardo Cunha é absolvida por Sergio Moro



O juiz Sergio Moro inocentou hoje a jornalista Cláudia Cruz, mulher do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB­RJ), dos crimes de lavagem de dinheiro e evasão fraudulenta de divisas. Na sentença publicada às 16h54, o juiz alega falta de provas suficientes para comprovar que ela tenha agido com dolo.

Na mesma ação, Moro condenou o ex­diretor internacional da Petrobras, Jorge Luiz Zelada, por corrupção passiva, "pelo pagamento de vantagem indevida para outrem no contrato de aquisição pela Petrobras dos direitos de exploração do Bloco 4 em Benin".
O juiz também condenou, igualmente por corrupção passiva, o operador de propinas do PMDB, João Augusto Rezende Henriques. Ele foi condenado ainda por lavagem de dinheiro.
O Ministério Público havia pedido a condenação de Claudia Cruz, em regime fechado, argumentando que as contas da jornalista no exterior haviam recebido mais de US$ 1 milhão oriundo de propina recebida por Eduardo Cunha por facilitação nos contratos da Petrobras para obter direitos de exploração em Benin, na África.
Os criminalistas Pierpaolo Bottini, Cláudia Vara San Juan Araújo, Stephanie Guimarães e Igor Tamasauskas, defensores de Cláudia, sustentava que o dinheiro gasto com cartões de crédito de Cláudia tem origem diversa e não é procedente de propina.

Jungmann retira medalhas de Genuíno e Costa Neto



O Ministério da Defesa resolveu excluir do Quadro da Medalha da Vitória os ex-deputados José Genoíno Neto (PT), a partir de 26 de abril de 2011, e Valdemar Costa Neto (PR), a partir de 9 de maio de 2005. A decisão é assinada pelo ministro Raul Jungmann e está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (25). A portaria não explica os motivos que levaram à cassação da homenagem.

A Medalha da Vitória foi criada em 2004 para agraciar militares das Forças Armadas, civis nacionais, militares e civis estrangeiros, policiais, bombeiros militares, organizações militares e instituições civis nacionais que tenham, entre outras ações, participado de conflitos internacionais na defesa dos interesses do País e prestado serviços relevantes ou apoiado o Ministério da Defesa no cumprimento de suas missões constitucionais

"Temer devia ter bom senso e renunciar", diz Henri Clay



Segundo o presidente da OAB de Sergipe, Henri Clay Andrade, o presidente Michel Temer ficou sem condições de governabilidade. “Temer perdeu o decoro e aí incorre no crime de responsabilidade previsto no artigo 85 da Constituição Federal. O ideal é que ele fizesse um ato de bom senso e grandeza e renunciasse ao cargo de presidente da República. No entanto, na falta deste ato, o caminho é o pedido de impeachment. É um remédio amargo, mas necessário para estancar a sangria do Brasil”, disse.

De acordo com Andrade, o país precisa, com urgência, restabelecer a estabilidade política para se criar um ambiente favorável para a retomada do crescimento econômico. “Há um desemprego galopante, a recessão é muito grande e a crise econômica se aprofunda em decorrência desta confusão, desta instabilidade, desta falta de apoio político do presidente Temer”.
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entregou na tarde de hoje à Câmara dos Deputados o pedido de impeachment do presidente Michel Temer. A entidade também pediu que Temer fique inabilitado de exercer cargo público por oito anos.

Deputados entregam à ONU carta-denúncia contra Temer



Deputados da oposição entregaram uma "carta-denúncia" nesta quinta-feira (25) ao coordenador das Nações Unidas (ONU) no Brasil, Niky Fabiancic. Os três deputados que levaram o documento à sede da ONU (Maria do Rosário, do PT-RS; Luiza Erundina, do PSOL-SP; e Paulão, do PT-AL) pediram repúdio à "postura autoritária e desmedida do governo".

O motivo do protesto dos parlamentares é o decreto do presidente Michel Temer, editado nesta quarta (25), que autorizou o emprego das Forças Armadas no Distrito Federal até 31 de maio. O decreto foi motivado pelos episódios de violência e depredação registrados durante manifestação contra o governo na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Nesta quinta, o presidente revogou o decreto, e os militares deixaram as ruas.

Na carta, os parlamentares criticam os policiais que faziam a segurança e do local e afirmam que eles cometeram "agressões indiscriminadas aos manifestantes".

"Ao agirem indiscriminadamente e sem controle, as forças de segurança feriram pessoas que exerciam seu direito de expressão e manifestação, ou trabalhavam na cobertura dos atos, como jornalistas e cinegrafistas", diz o texto da carta.
A deputada Maria do Rosário (PT-RS) disse esperar que o documento apresentado à ONU seja protocolado na sede europeia da organização em Genebra, na Suíça.

"Que observadores internacionais possam analisar a situação brasileira, possam oportunamente estar no Brasil. E recebemos por parte do responsável pelas Nações Unidas no Brasil o compromisso de que este documento aqui entregue será protocolado em Genebra, justamente que é o guardião dos direitos humanos no mundo", afirmou a deputada.

SOBRADINHO: PREFEITO LUIZ VICENTE INVESTINDO NA SAÚDE


O Prefeito Luiz Vicente Berti, pela Secretaria de Saúde, num ato de compromisso com a saúde bucal de nossas crianças, garantirá na próxima sexta-feira, dia 26 de maio, atendimento odontológico de qualidade para as crianças da Escola Maria Ribeiro.

A ação será sequenciada todas as sextas-feiras para as escolas municipais.

O JUAZEIRENSE, CORONEL ANSELMO BISPO, ASSUME COMANDO DO CPRN





Coronel Alfredo Nascimento.
Coronel PM Anselmo Bispo.
O Diário Oficial do Estado da Bahia datado desta quinta-feira, 25 de maio, publicou uma série de exonerações e nomeações no alto comando da Polícia Militar baiana.
Nos casos específicos da região Norte, foi anunciada a exoneração do Coronel PM Alfredo José Souza Nascimento do Comando de Policiamento da Região Norte e para o seu lugar foi nomeado o Coronel José Anselmo Moreira Bispo que estava na Academia de Polícia Militar, da estrutura da Secretaria de Segurança Pública.
O Coronel PM Anselmo Bispo é juazeirense, filho do saudoso Sargento Bispo, que além de policial militar era também músico e durante muito tempo comandou a briosa Banda de Música do 3 BPM.
Outras mudanças na região Norte apontam a nomeação do Major PM Luis Henrique para o comando da 76ª CIPM em lugar do Major Manuel Perdiz.
Quem está de volta também ao âmbito do CPRN é o Tenente Coronel PM Alexandre Motta Lima que vai assumir a Chefia do Núcleo de Gestão Administrativa e Financeira do Comando de Policiamento Regional Norte.

JUAZEIRO: PREFEITO PAULO BOMFIM, CONVERSA COM JORNALISTAS

Paulo  Bomfim,  prefeito  de  Juazeiro,  esteve  nesta  manhã  de  quinta-feira (25),  conversando  ao  lado  do  paço  da  prefeitura    com  os  jornalistas  Chico  Ferreira,  Valtermário  Pimentel,  e  Edvaldo  Franciolli. Vários  assuntos  foram  abordados,  inclusive  a  respeito  da  cultura. Bomfim  adiantou  que  existem  projetos  importantes  em  prol  da  cultura  juazeirense  que  vão  ser  colocados  em  ação  dentro  de  pouco  tempo. O  prefeito  argumentou  que  Juazeiro  da  Bahia,  tem  muitos  valores  em  termos  culturais  conhecidos  no  Brasil  e  também  no  exterior.  Por  isso  a  cultura  é  uma  das  prioridades  do  seu  governo.

Brasília em chamas



Bernardo Mello Franco - Folha de S.Paulo
A crise que emparedou o governo atingiu um novo patamar nesta quarta. O primeiro grande protesto pela saída de Michel Temer se transformou em batalha campal na Esplanada. Com Brasília em chamas, o presidente fez uma aposta arriscada e pôs o Exército na rua. A medida acirrou os ânimos no Congresso, onde voltou a haver tumulto e gritaria por renúncia ou impeachment.
O confronto entre manifestantes e a PM se estendeu por quase quatro horas. Militantes depredaram prédios públicos, e policiais atiraram com armas letais, em flagrante de uso desproporcional da força.
A tensão transbordou para o Congresso, onde a ordem do Planalto era manter "clima de normalidade". Sob pressão, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, suspendeu as votações e pediu reforço na segurança externa. Essa foi a senha para a tentativa de contra-ataque do governo.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, discursou contra a "baderna" e disse ter convocado o Exército a pedido de Maia. O plenário voltou a ferver, e o deputado desmentiu o ministro: só havia solicitado a presença da Força Nacional de Segurança.
O apelo aos militares criou novas arestas para Temer. Além de irritar seu principal aliado no Congresso, a medida motivou protestos da oposição, do governador de Brasília e de um ministro do STF, que criticou a ideia em plena sessão de julgamento.
Até senadores que votaram a favor do impeachment de Dilma Rousseff engrossaram o coro. "O presidente Temer está cometendo uma insensatez", lamentou Cristovam Buarque. Para outros políticos, o Exército na Esplanada evocou memórias da ditadura, como a repressão ao povo durante a votação das Diretas, em 1984.
Ao recorrer aos militares, Temer pode recuperar algum apoio entre setores de ultradireita que sonham com uma saída autoritária. Ao mesmo tempo, ele demonstra sua fragilidade. "Não serão as Forças Armadas que vão sustentar este governo", debochou o ex-aliado Renan Calheiros.

Jaburu: apesar de proteção, suspense e temor


BRASILIA , DF , 24.05.2017 , BRASIL , Manifestante depreda predio durante protesto contra o presidente Michel Temer em Brasília Foto: Assessoria do Ministério da Agricultura ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***

Manifestante depreda prédio durante protesto contra o presidente Michel Temer em Brasí­lia
Janio de Freitas – Folha de S.Paulo
A elevação do modo de protesto popular violento em Brasília, do vandalismo para o ataque típico de revolta civil, não foi um aviso.
Os avisos estão dados desde o colar de incidentes começados ainda no governo Dilma. Os ataques aos ministérios foram já o primeiro ato.
Quem até aqui não quis ver –nos governos e no Congresso, na imprensa/TV, no empresariado que influi na política– está confrontado pelos fatos: a situação interna do país mudou.
Iniciou-se um processo que, embora não irreversível, é propenso a avançar, sob o incentivo ignorante das classes privilegiadas, aqui sempre empedernidas e vorazes.
Só esses predicados podem levar à crença de que é possível impor, a um só tempo e impunemente, desemprego, ostentação de roubalheiras premiadas do dinheiro público, salários atrasados, cassação de direitos trabalhistas, redução dos miseráveis recursos e serviços da saúde, ainda piores condições de aposentadoria para quem de fato trabalha ou trabalhou, corte dos investimentos públicos e, pairando sobre ou sob esse conjunto idealizado pela classe dominante, uma composição imoral de governo.
As ações diretas do povo não seguem regras. Obedecem à lógica das suas contingências.
Nessa lógica está, hoje em dia, o alto grau de indignação e de violência –praticada e potencial– nas cidades difusamente armadas e mais suscetíveis a próximos capítulos da nova etapa de escalada. Caso notório de Rio e São Paulo, mas não só.
Brasília é mais vulnerável a ocorrências ditas de praça pública, na arrogância dos seus prédios e no convite das suas vidraças, não porém em armas à mão. São Paulo, território primordial para a comercialização de droga em dimensões nacionais, e Rio, território com enclaves bandidos, exemplificam melhor o risco que a Capital projeta sobre o país.
Michel Temer e seus parlamentares pretenderam mais uma atitude indecente. Na calada, não da noite, mas da bagunça mental que se generalizou, quiseram fazer na Câmara e no Senado aprovações que levariam o empresariado influente e imprensa/TV a ampará-los, em retribuição e por querer mais.
Em consequência, o Palácio do Jaburu, apesar de proteção especial, passa a ter horas, talvez noites e dias, de suspense e temor. A Câmara e o Senado deixam de saber quando poderão funcionar não ou, como ontem.
Forças Armadas são postas a reprimir, não bandidos, mas a gente comum. Alguma dúvida de que tirar Michel Temer é a única hipótese das chefias políticas e seu empresariado para atenuar as tensões do país? Mas no povo a ideia também única, que se constata por toda parte, é de que o país está entregue a ladrões. E ele em pessoa é uma vítima de todos os ladrões.
É apenas lógica e induzida a elevação do modo de enfrentamento popular.

FHC, Lula e Sarney já articulam o pós-Temer



Folha de S.Paulo - Bruno Boghossian e Marina Dias

As articulações para a substituição do presidente Michel Temer evoluíram nas três principais forças políticas do país –PMDB, PSDB e PT– e agora envolvem diretamente três ex-presidentes da República: Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney.
Desde a última quinta (18), quando foram divulgados os detalhes da delação da JBS que envolvem Temer, eles têm liderado conversas suprapartidárias em busca de um consenso para a formação de um novo governo, caso o peemedebista seja cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Os três caciques, pontos de contato nos diálogos que acontecem reservadamente em Brasília e São Paulo, cuidam para que os debates não ganhem caráter partidário.
As conversas estão pulverizadas, uma vez que, por ora, cada sigla traça caminhos diferentes para o desfecho da crise.
Do lado do PSDB, fiel da balança do governo, FHC se tornou referência e, segundo relatos de tucanos, já abriu contato com parlamentares do PT. Além disso, é o mais importante interlocutor do presidente do TSE, Gilmar Mendes, considerado "peça-chave" para viabilizar a saída institucional de Temer.
"O Brasil exige o que temos de melhor e não o que temos de pior", disse à Folha o senador Jorge Viana (PT-AC), um dos emissários petistas nas conversas com integrantes do PSDB e do PMDB.
Nesta semana, Viana esteve em dois jantares na casa da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para discutir soluções com aliados do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), líder peemedebista no Senado e opositor de Temer.
Na terça-feira (23), o senador petista se encontrou com Lula. O ex-presidente disse que o partido precisa insistir na defesa das eleições diretas. Até aqui, Lula não acredita que um perfil "de centro" será incluído pela base de Temer no processo de eleições indiretas e diz que a ventilação do nome do ex-ministro Nelson Jobim, que tem sua simpatia, tem o objetivo de "adoçar a boca do PT".
Apesar da determinação dada à cúpula petista, Lula se mantém disposto a conversar com as lideranças políticas que trabalham exclusivamente com a alternativa de eleições indiretas para escolher o sucessor ao Planalto.
Na avaliação de aliados de Temer, a escalada da crise, com os primeiros protestos violentos contra o governo, nesta quarta-feira (24), precipita uma concertação que envolve o trio de ex-presidentes.
Eles acreditam que a articulação suprapartidária pode reduzir a tensão do ambiente político e permitir uma transição suave a partir do julgamento do TSE, que começa no dia 6 de junho e pode tirar Temer do poder.
Nesse cenário, Lula tem sido estimulado a procurar FHC em busca de entendimento. Aliados de Temer consideram essa conversa fundamental porque o petista tem pontes com movimentos sindicais e sociais à frente dos protestos, e o tucano é o principal conselheiro do pilar de sustentação de Temer.
O ex-presidente José Sarney, por sua vez, esteve com Temer na segunda (22) e, no dia seguinte, recebeu parlamentares do PMDB e dirigentes tucanos. 

Aliados: cassação de Temer pelo TSE é a melhor solução


Integrantes da equipe de Michel Temer consideram que a cassação dele pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pode se transformar em saída honrosa para o presidente. A cassação seria por abuso de poder político e econômico nas eleições, e não por corrupção.
Com isso, Temer manteria o discurso de inocência em relação a acusações de corrupção e não sofreria bombardeio da atual oposição –já que Dilma Rousseff também deve ser punida no mesmo julgamento.
Uma das dificuldades das negociações em torno da sucessão de Temer é encontrar uma saída para ele do ponto de vista jurídico. Para isso seria preciso envolver o Judiciário nas conversas, algo considerado mais complexo.  (Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo)

Pesquisa do Governo: Temer, de 5% a 1% no Nordeste



Pesquisas e sondagens feitas pelo governo federal na internet mostram que a situação de Temer nas redes piora a cada dia. Os antigos defensores do governo entre os chamados formadores de opinião sumiram, salvo raras exceções. A informação é de Mônica Bergamo, hoje na Folha de S.Paulo.

Diz a colunista que pesquisas que chegaram ao governo mostram que Temer tem hoje cerca de 5% de avaliação positiva. Em algumas regiões metropolitanas do Nordeste do país, segundo outras sondagens, ele despencou para 1%.
Sondagens feitas com formadores de opinião, como empresários e executivos, também revelam descrença cada vez maior na continuidade do governo. 

Temer não renuncia


 
O presidente Michel Temer repetiu a senadores do PMDB, durante reunião, ontem, que só deixará a Presidência quando seu mandato terminar. Ele disse aos senadores que vai ficar até dia 31 de dezembro de 2018. Na reunião, o líder do Governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), aproveitou para criticar o senador Renan Calheiros, que é líder do PMDB no Senado. Jucá disse que Renan não o representa nem representa a maioria da bancada. E pediu uma nova reunião para discutir a situação da bancada. O senador Jader Barbalho (PMDB-PA), por sua vez, fez críticas ao Ministério Público e à delação da JBS, defendendo a criação de uma CPI.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Soberano, Bahia vence o Sport e é tricampeão da Copa do Nordeste por Matheus Caldas


por Matheus Caldas
Soberano, Bahia vence o Sport e é tricampeão da Copa do Nordeste
Foto: Jefferson Peixoto / Ag Haack / Bahia Notícias
O tempo passa, mas a emoção continua latente num título e o torcedor tricolor demonstrou isso nesta quarta-feira (24). Após 15 anos, o Bahia conquistou pela terceira vez a Copa do Nordeste, ao vencer o Sport por 1 a 0, na Arena Fonte Nova, mesmo palco da primeira conquista regional tricolor, em 2001, contra o mesmo adversário. Desta vez, Jean, Régis e Edigar Junio, herói da partida, relembraram os tempos de Emerson, Bebeto Campos e Nonato e trouxeram novamente a glória máxima da região para as mãos do Tricolor de aço. 

O JOGO
A primeira chance foi logo do Bahia. Num cruzamento preciso de Edigar Junio, aos quatro minutos, Régis apareceu de surpresa e cabeceou perto do gol de Madrão

Golaço do Bahia
Aos 13 minutos, um gol de quem sabe. Numa cavadinha inteligente de Armero, aos 13 minutos, Edigar Junio girou, deixou Durval na saudade e abriu o placar na Arena

Resposta do Sport
Logo em seguida, o Leão da Ilha quase empata. Numa jogada individual, Rogério pegou do meio da rua, chutou e a bola passou perto do gol

Após 15 minutos de um jogo truncado, o Bahia chegou novamente. Aos 30 minutos, bola cobrada na área e, novamente, Edigar Junio chegou. Desta vez, a bola foi na trave

Rogério expulso
Aos 32 minutos, uma expulsão infantil. O atacante do Sport simulou uma queda dentro da área do Bahia. O árbitro não caiu na ladainha do atleta rubro-negro, deu segundo amarelo e o expulsou

Segundo tempo
Na volta do intervalo, pressão total do Bahia. Após um gol impedido corretamente, Marquinhos, ex-Vitória, salvou um arremate de Edigar Junio, em cima da linha

Depois disso, o que se viu foi um Bahia cozinhando o jogo. Com um a menos, o Sport não conseguia jogar

FICHA TÉCNICA
Bahia x Sport
Copa do Nordeste - Final (2º jogo)
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador
Data: 24/05/2017
Horário: 21h45
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Rondinelle dos Santos Tavares
Cartões amarelos: Régis, Anderson, Edson, Tiago, Renê Júnior, Matheus Sales, Zé Rafael e Allione (BAH); Rogério (2x), Ronaldo, Leandro Pereira, Marquinhos e Mena (SPT)
Cartões vermelhos: Rogério, Ronaldo e Lênis (SPT)
Gol: Edigar Junio

Bahia: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Armero; Edson, Renê Júnior (Juninho) e Régis (Matheus Sales); Allione, Zé Rafael (Gustavo) e Edigar Junio. Técnico: Guto Ferreira.
 
Sport: Magrão; Raul Prata (Marquinhos), Matheus Ferraz, Henriquez, Durval e Mena; Fabrício (Everton Felipe), Ronaldo (Leandro Pereira) e Diego Souza; Rogério e André. Técnico: Ney Franco.

'Candidato: eu? Olha para minha cara, minha idade', diz FHC sobre Presidência


por Daniel Weterman | Estadão Conteúdo
'Candidato: eu? Olha para minha cara, minha idade', diz FHC sobre Presidência
Foto: Divulgação/ PSDB
O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) negou que esteja disposto a ser candidato novamente ao Planalto em uma eleição com a eventual queda do presidente Michel Temer (PMDB). Perguntado sobre a possibilidade durante evento na sede da Fundação FHC, o tucano afastou estar disposto a concorrer ao cargo. "Eu? Olha para minha cara, minha idade. Tá louco!", expressou aos jornalistas. Fernando Henrique disse ainda que é preciso aguardar para que o PSDB decida se fica ou desembarca do governo Temer. O ex-presidente considera que a situação está muito "instável" e que há um "esvaziamento do poder" na Presidência da República. Para o tucano, o PSDB não pode dizer simplesmente "eu não brinco mais" quando a situação é avaliar se continua no governo ou não. "No Brasil, eu acho que responsavelmente nós temos que pensar sempre: E amanhã?", declarou. "Nós ainda estamos elaborando esse amanhã, e não é o PSDB, é o Brasil inteiro." O ex-presidente disse ainda que o Brasil precisa reconstruir formas efetivas de ações do Estado, ao falar da crise no governo Temer, e considerou que a situação se agravou ainda mais com os atos de violência registrados em Brasília nesta quarta-feira. FHC classificou os atos como "inaceitáveis". "O Brasil inteiro está inquieto porque está sentindo que há um esvaziamento do poder, não no sentido de repressão, mas do poder daquilo que nós delegamos para que seja feito, de legitimidade", disse.

Loures continuará recebendo salário e auxílio-saúde, mesmo após episódio com mala


Loures continuará recebendo salário e auxílio-saúde, mesmo após episódio com mala
Foto: Reprodução / Meio Norte
O deputado afastado Rodrigo Loures (PMDB-PR) irá continuar recebendo salário e assistência saúde da Câmara dos Deputados. É o que a Mesa Diretora da casa legislativa decidiu nesta quarta (24). Além de R$ 33.763 por mês, Loures poderá receber cuidados do departamento médico da Câmara e manterá o plano de saúde dos servidores do legislativo, com todos seus benefícios. Loures é o "Rodrigo" apontado por Temer como a pessoa que poderia fazer a conexão entre a presidência da República e o empresário Joesley Batista, da JBS, no áudio divulgado. Ele também foi flagrado recebendo uma mala que teria R$ 500 mil em propina - e foi devolvida com R$ 35 mil a menos. De acordo com informações do jornal online Folha de S. Paulo, na última semana, o comando da Câmara suspendeu a verba de gabinete e o auxílio moradia do deputado. O parlamentar é assessor pessoal de Temer desde que o presidente assumiu o Planalto.

Jarbas diz que Tasso é a melhor alternativa




“Espero que convocação não seja verdadeira”



O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello criticou na tarde desta quarta­feira (24), durante sessão de julgamento do Supremo, a decisão do presidente Michel Temer (PMDB) de convocar as Forças Armadas para atuar em protestos contra seu governo.

Marco Aurélio opinou sobre a medida antes de iniciar seu voto em um dos processos julgados na sessão desta tarde. "Presidente (do STF, Cármen Lúcia), voto um pouco preocupado com o contexto e espero que a notícia não seja verdadeira. O chefe do poder Executivo (Temer) teria editado um decreto autorizando o uso das Forças Armadas no Distrito Federal, no período de 24 a 31 de maio", disse o ministro, que em seguida deu seu parecer sobre a pauta em julgamento.
A decisão do governo foi anunciada na tarde desta quarta­feira, enquanto a sessão no STF já estava em andamento, e foi uma resposta imediata aos protestos realizados na Esplanada dos Ministérios que terminaram em confronto entre manifestantes e policiais e depredação de prédios ministeriais

Ex-empresário de Cristiano Araújo é morto a tiros



O ex-empresário do sertanejo Cristiano Araújo, D’Stefany Vaquero Lima, de 32 anos, morreu, na madrugada desta quarta-feira, em Mangaratiba, na Região Metropolitana do Rio. Conhecido como Didi Latino, ele foi encontrado baleado por policiais militares do 33º BPM (Angra dos Reis) na Rodovia Rio-Santos e levado para Hospital municipal Victor de Souza Breves. O crime é investigado pela 165ª DP (Mangaratiba).

Os PMs passavam pela Rio-Santos quando viram Didi Latino andando às margens da via, pouco depois da meia-noite, com as roupas cobertas de sangue. Eles pararam para socorrê-lo. O empresário, porém, ainda de acordo com os agentes, falava coisas sem nexo e não soube explicar o que havia acontecido. Ele teria levado quatro tiros.

Além de Cristiano Araújo — morto num acidente de carro em junho de 2015 —, Didi Latino também trabalhou com a dupla sertaneja Humberto e Ronaldo. Na página oficial dos cantores, foi postada uma mensagem de luto:
“8 anos atrás começava uma amizade, uma história, dois sonhadores, que nunca desistiram. A vida nos levou a caminhos diferentes, mas nunca distantes.
Difícil saber o que falar essa hora. Que Deus te receba de braços abertos irmão. Descanse em paz!”
Didi Latino era natural de Goiânia e, atualmente, morava em Fortaleza. Muitas pessoas deixaram mensagens de luto em redes sociais.

Veja como foi a tarde de protestos em Brasília


Os protestos desta quarta­-feira são mais um capítulo da maior crise que atinge o governo do presidente Temer. Desde a semana passada, quando reportagens foram publicadas com áudios entre o presidente e o empresário Joesley Batista, da JBS, o presidente Michel Temer tem sido alvo de protestos e pedidos de renúncia.Após ministério serem depredados e incendiados, Temer decretou a "ação de garantia da lei e da ordem" e, com isso, tropas federais passarão a reforçar a segurança na região da Esplanada dos Ministérios até o próximo dia 31.