Chico Ferreira

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Artigo de Marco Antônio Villa


    
 
O ESTADO DE S. PAULO  
O Brasil é um país fantástico.Nulidades são transformadas em gênios da noite para o dia. Uma eficaz máquina de propaganda faz milagres. Temos ao longo da nossa História diversos exemplos.O mais recente é Dilma Rousseff.
Surgiu no mundo político brasileiro há uma década. Durante o regime militar militou em grupos de luta armada, mas não se destacou entre as lideranças.Fez política no Rio Grande do Sul exercendo funções pouco expressivas. Tentou fazer pós graduação em Economia na Unicamp, mas acabou fracassando,não conseguiu sequer fazer um simples exame de qualificação de mestrado. Mesmo assim,durante anos foi apresentada como "doutora" em Economia.Quis-se aventurar no mundo de negócios, mas também malogrou. Abriu em Porto Alegre uma lojinha de mercadorias populares, conhecidas como "de 1,99". Não deu certo. Teve logo de fechar as portas.
Caminharia para a obscuridade se vivesse num país politicamente sério. Porém, para sorte dela, nasceu no Brasil. E depois de tantos fracassos acabou premiada:virou ministra de Minas e Energia.Lula disse que ficou impressionado porque numa reunião ela compareceu munida de um laptop.Ainda mais: apresentou um enorme volume de dados que, apesar de incompreensíveis, impressionaram favoravelmente o presidente eleito.
Foi nesse cenário, digno de O Homem que Sabia Javanês, que Dilma passou pouco mais de dois anos no Ministério de Minas e Energia. Deixou como marca um absoluto vazio.Nada fez digno de registro.Mas novamente foi promovida. Chegou à chefia da Casa Civil após a queda de José Dirceu, abatido pelo escândalo do mensalão. Cabe novamente a pergunta: por quê? Para o projeto continuísta do PT a figura anódina de Dilma Rousseff caiu como uma luva. Mesmo não deixando em um quinquênio uma marca administrativa um projeto, uma ideia, foi alçada a sucessora de Lula.
Nesse momento, quando foi definida como a futura ocupante da cadeira presidencial, é que foi desenhado o figurino de gestora eficiente, de profunda conhecedora de economia e do Brasil, de uma técnica exemplar,durona,implacável e desinteressada de política.Como deveria ser uma presidente a primeira no imaginário popular.
Deve ser reconhecido que os petistas são eficientes. A tarefa foi dura,muito dura.Dilma passou por uma cirurgia plástica, considerada essencial para, como disseram à época, dar um ar mais sereno e simpático à então candidata. Foi transformada em "mãe do PAC". Acompanhou Lula por todo o País. Para ela e só para ela a campanha eleitoral começou em 2008.Cada ato do governo foi motivo para um evento público, sempre transformado em comício e com ampla cobertura da imprensa. Seu criador foi apresentando homeopaticamente as qualidades da criatura ao eleitorado.Mas a enorme dificuldade de comunicação de Dilma acabou obrigando o criador a ser o seu tradutor, falando em nome dela e violando abertamente a legislação eleitoral.
Com base numa ampla aliança eleitoral e no uso descarado da máquina governamental, venceu a eleição. Foi recebida com enorme boa vontade pela imprensa. A fábula da gestora eficiente, da administradora cuidadosa e da chefe implacável durante meses foi sendo repetida. Seu figurino recebeu o reforço, mais que necessário, de combatente da corrupção.Também,pudera:não há na História republicana nenhum caso de um presidente que em dois anos de mandato tenha sido obrigado a demitir tantos ministros acusados de atos lesivos ao interesse público.
Com o esgotamento do modelo de desenvolvimento criado no final do século 20 e um quadro econômico internacional extremamente complexo,a presidente teve de começar a viver no mundo real. E aí a figuração começou a mostrar suas fraquezas. O crescimento do produto interno bruto (PIB) de 7,5% de 2010, que foi um componente importante para a vitória eleitoral, logo não passou de uma recordação. Independentemente da ilusão do índice (em 2009 o crescimento foi negativo: -0,7%),apesar de todos os artifícios utilizados,em 2011 o crescimento foi de apenas 2,7%. Mas para piorar, tudo indica que em 2012 não tenha passado de 1%.Foi o pior biênio dos tempos contemporâneos, só ficando à frente,na América do Sul,do Paraguai. A desindustrialização aprofundou-se de tal forma que em 2012 o setor cresceu negativamente: -2,1%. O saldo da balança comercial caiu 35% em relação à 2011, o pior desempenho dos últimos dez anos,e em janeiro deste ano teve o maior saldo negativo em 24 anos. A inflação dá claros sinais de que está fugindo do controle.E a dívida pública federal disparou: chegou a R$ 2 trilhões.
As promessas eleitorais de 2010 nunca se materializaram.Os milhares de creches desmancharam-se no ar. O programa habitacional ficou notabilizado por acusações de corrupção. As obras de infraestrutura estão atrasadas e superfaturadas. Os bancos e empresas estatais transformaram-se em meros instrumentos políticos a Petrobrás é a mais afetada pelo desvario dilmista.
Não há contabilidade criativa suficiente para esconder o óbvio: o governo Dilma Rousseff é um fracasso.E pusilânime: abre o baú e recoloca velhas propostas como novos instrumentos de política econômica. É uma confissão de que não consegue pensar com originalidade. Nesse ritmo, logo veremos o ministro Guido Mantega anunciar uma grande novidade para combater o aumento dos preços dos alimentos: a criação da Sunab.
Ah, o Brasil ainda vai cumprir seu ideal: ser uma grande Bruzundanga. Lá, na cruel ironia de Lima Barreto, a Constituição estabelecia que o presidente "devia unicamente saber ler e escrever; que nunca tivesse mostrado ou procurado mostrar que tinha alguma inteligência; que não tivesse vontade própria; que fosse, enfim, de uma mediocridade total".

Editorial: alguma coisa está mudando neste país. É pouco, mas vamos chegar lá.



Na ação movida pelo filho de Lula contra a revista Veja, pedindo indenização por danos morais pela matéria publicada a respeito do seu enriquecimento milagroso, e também sobre a frase dita pelo ex-presidente "Meu filho  é o Ronaldo dos negócios".
Abaixo, trecho da sentença da Drª Luciana Novakoski Ferreira Alves de Oliveira, MMª  Juíza de Direito Auxiliar:
"...O  autor (Lulinha) precisa compreender que é de interesse de toda a população brasileira saber como o filho do Presidente da República obteve tamanha ascensão coincidente ao mandato de seu  pai. E há de concordar que uma imprensa livre para investigar tais fatos é fator essencial  para que vivamos num Estado Democrático de Direito, ideal outrora defendido por tantos  que, agora, ao que se vê, parecem se incomodar com ele."
    Desse modo, examinando-se o conflito dos interesses constitucionais envolvidos na publicação da matéria, verifica-se que a conduta dos réus não foi abusiva e apenas buscou informar seus leitores sobre assunto de relevante interesse público. Logo, inexiste direito à reparação civil.
Ante o exposto, JULGO IMPROCEDENTE o pedido, nos termos do art. 269, inciso I, do Código de Processo Civil.
"Em razão da sucumbência, arcará o autor com o pagamento das custas e despesas processuais e de honorários advocatícios, que fixo, por equidade, em R$ 10.000,00.”
Drª LucianaNovakoski Ferreira Alves de Oliveira,
MMª  Juíza de Direito Auxiliar,
A população brasileira agradece,obrigado...
VAMOS  PARABENIZAR A JUÍZA EM NOME DE TODOS OS BRASILEIROS
E
QUE DEVEMOS ACREDITAR NA DEMOCRACIA PLENA, E QUE TEMOS VERGONHA NA CARA.

Comerciantes e barqueiros da Ilha do Rodeadouro comemoram liberação do local



Os Comerciantes e barqueiros da Ilha do Rodeadouro, que efetuaram na manhã desta quarta-feira (16) um mutirão de limpeza no Balneário, comemoraram a liberação definitiva do local pelos departamentos de Vigilância Sanitária de Juazeiro e Petrolina. Em contato com o Blog comerciantes informaram que a análise de novas coletas da areia deram negativa para o "bicho geográfico" (larvas Migrans), e o local está totalmente liberado para visitação e banho. De acordo com Ninha, comerciante do Rodeadouro, a informação foi passada aos comerciantes na manhã de hoje, destacando ainda que os departamentos de Vigilância Sanitária das duas cidades se comprometeram a passar a informação oficialmente para a população, através da imprensa.
A Ilha vem recebendo uma atenção especial dos poderes públicos de Juazeiro e Petrolina, que realizaram processo de intervenção desde o dia 29 de março, após denuncias de que pessoas haviam sido contaminadas pela Larva Migrans, conhecida como "bicho geográfico". Após intervenção, que culminou com a aplicação de cal na areia do balneário, recolhimento de animais errantes e vermifugação dos animais existentes na ilha, exames divulgados pela Vigilância Sanitária, apontaram que já não existem mais ovos do parasita, apenas larvas na forma adulta, que tem período de 15 a 30 dias de vida, animando os comerciantes que esperam ver o Balneário funcionando bem já no próximo final de semana. O Mutirão, realizado em parceria pelas Associações de Barraqueiro e Barqueiros, com o apoio de voluntários e equipe de limpeza da Prefeitura de Juazeiro, já contactada pelos comerciantes, vai promover uma limpeza geral da Ilha do Rodeadouro, culminando ainda com a aplicação de cal em putras áreas da Ilha que não recebem visita de banhistas.

Cerveró garante que Pasadena foi "um bom negócio"



A compra da Refinaria de Pasadena (EUA) pela Petrobras não foi um mau negócio, de acordo com o ex-diretor da área internacional da empresa brasileira, Nestor Cerveró. Segundo ele, o empreendimento no Texas perdeu valor quando a estatal redefiniu prioridades e concentrou os investimentos na exploração do pré-sal.

Hoje (16), durante uma audiência na Câmara Federal, Cerveró rejeitou enfaticamente o termo “malfadado”, atribuído ao negócio por vários deputados, que questionaram aspectos do negócio. “O projeto, em si, não foi malfadado. Foi um bom projeto na época. Estamos fazendo análise posterior a uma série de eventos que modificam o cenário”.

Cerveró disse que o projeto tinha rentabilidade “que nunca vamos saber se seria atingida, porque foi feita por mudança estratégica drástica do conselho de administração”. E completou: “Não posso condenar”.
Perguntado sobre se faria, hoje, um resumo executivo igual ao que apresentou à época, Cerveró disse que sim, desde que considerando as mesmas condições de mercado. "Uma coisa é [falar] depois do jogo terminado. Sei que o projeto não teve condições de ser realizado. Mas até a execução e a aprovação, ele tinha todas condições econômicas de ser realizado. Se elas se repetissem, faria de novo, mas dentro dos conhecimentos que eu tinha na época", disse ele.

Nas contas apresentadas pelo ex-diretor, a Petrobras investiu US$ 1,23 bilhão no negócio. Ele disse que os custos de compra foram inferiores à média negociada em outras refinarias à época e, por isso, descartou que a estatal tenha pago um valor excessivo pela parte da refinaria norte-americana que pertencia ao grupo belga Astra Oil, quando as duas empresas se desentenderam.

Cerveró ressaltou que o prejuízo contabilizado no negócio de Pasadena é contábil e que, nos primeiros meses, a refinaria teve resultados “muito positivos” e que “as margens de petróleo leve eram altas”, disse. Sobre a desvalorização das ações da Petrobras, Cerveró disse que a redução no valor de mercado ocorre em função dos investimentos exigidos na exploração de petróleo do pré-sal.

Emocionado, o ex-diretor lembrou que trabalhou por quase quarenta anos na empresa e disse que não se sentiu rebaixado quando foi retirado da área internacional. “Não concordo com essa questão do rebaixado”, afirmou. O termo foi usado ontem (15) pela presidente da Petrobras, Graça Foster, no Senado, quando afirmou que a falha no relatório de Cerveró, apresentado em 2006, provocou seu rebaixamento na empresa.
Cerveró foi remanejado para a diretoria financeira da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras que atua no mercado brasileiro de distribuição de combustíveis. Ele ocupou o cargo até o mês passado, quando foi afastado da estatal.

Cerveró: "Não enganei Dilma de forma nenhuma"



Ex-diretor de Área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, afirmou nesta quarta-feira (16), durante audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, que a polêmica cláusula de saída (put) que a presidente Dilma Rousseff (PT) disse desconhecer em relação à aquisição da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), é “mais do que comum” em contratos da Petrobras.

Cerveró disse que não teve a intenção de enganar a presidente Dilma Rousseff. “De forma nenhuma. Não há nenhum sentido em enganar ninguém. Não existem decisões individuais, nem na diretoria nem no conselho da Petrobras”.

O ex-diretor chegou a dizer que tanto a sócia belga Astra Oil quanto a Petrobras tinham direito à cláusula put. Ele só não detalhou, porém, se a estatal brasileira também teria direito a um ágio de 20% sobre o valor negociado, caso a put tivesse sido exercida pela estatal brasileira.

Cerveró afirmou que a Cláusula de Marlim – que Dilma também disse desconhecer – foi uma defesa da Astra para a transferência do lucro da produção, por conta do volume de petróleo que seria refinado da Petrobras. “A Cláusula de Marlim nunca foi usada. Ela não significou nenhum risco para a Petrobras”, disse.

Até o momento, o ex-diretor ainda não esclareceu na audiência pública se as cláusulas foram omitidas do resumo executivo do empreendimento, mas deixou claro que era cláusulas irrelevantes para mudar a posição do conselho da Petrobras em aprovar o negócio

SOBRADINHO: ASSALTO NA ESTRADA DOS ALGODÕES

Aconteceu  nesta  quarta-feira (16)  por  volta  das  16:30, na  estrada  da  localidade  de  Algodões, um  asssalto  à  mão  armada,  a vítima  foi  Jorge  Ribeiro  de  Souza, que  vinha  conduzindo  a  sua  moto  derrepente  apareceram  dois  elementos  que  saíram  do  mato  pedindo  que Jorge  parasse,  como  o  mesmo  parou  um  dos  indivíduos  puxou  arma  de  fogo  e  deu  lhe  um  tiro  nas  costas.  Jorge  veio  conduzindo  a  moto  até  o  pronto  socorro  onde  foi  atendido  e  posteriormente  transferido  para  Juazeiro através de  uma ambulância  do SAMU  onde  encontra-se  hospitalizado. 

Para impedir que renúncia pare processo contra Vargas, oposição vai ao STF

Para impedir que renúncia pare processo contra Vargas, oposição vai ao STF

Os partidos que entraram com a representação contra o deputado André Vargas (PT-PR), PSDB, DEM e PPS, pretendem entrar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar impedir que, caso o petista renuncie ao mandato, o processo de cassação contra ele não seja sustado. Vargas voltou a cogitar a hipótese de renúncia com a possibilidade da Mesa da Câmara entender que com ela o processo pararia. Para garantir a aplicação da lei segundo a qual o ato de renúncia não exime o parlamentar da perda dos direitos políticos, a oposição articula novamente recorrer ao Judiciário – o STF já foi acionado recentemente para tentar assegurar uma CPI restrita à Petrobras. Informações da Folha de S. Paulo.

MENSAGEM DO VEREADOR GABRIEL LUSTOSA

Páscoa…
É ser capaz de mudar.
É partilhar a vida na esperança.
É lutar para vencer toda sorte de sofrimento.
É ajudar mais gente a ser gente.
É viver em constante libertação.
É crer na vida que vence a morte.
É dizer sim ao amor e à vida.
É investir na fraternidade.
É lutar por um mundo melhor.
É vivenciar a solidariedade.
É renascimento, é recomeço.
É uma nova chance para melhorarmos as coisas que não gostamos em nós. Para sermos mais felizes por conhecermos a nós mesmos mais um pouquinho.
É vermos que hoje…
Somos melhores do que fomos ontem.
Desejo a todos os amigos e amigas uma Feliz Páscoa, cheia de paz, amor e muita saúde!

Gasto do Planalto com publicidade bate recorde em 2013




A presidente Dilma Rousseff (PT) conseguiu bater o recorde antes pertencente ao seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O Governo Federal gastou, somente no ano passado, R$ 2,3 bilhões para a veiculação de material publicitário. De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo, o valor é o mais alto já registrado desde 2000, quando os dados começaram a ser divulgados pela Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto.

O montante faz com que o governo ocupe a quarta colocação no ranking dos maiores anunciantes brasileiros em 2013, ficando atrás apenas de Unilever (R$ 4,6 bilhões), Casas Bahia (R$ 3,4 bilhões) e do laboratório Genomma (R$ 2,5 bilhões).

O valor é, inclusive, maior do que o investido pela gigante Ambev. Segundo o Ibope, a companhia do ramo de bebidas gastou R$ 1,8 bilhão no mesmo período.

De acordo com a Folha de S.Paulo, os R$ 2,3 bilhões correspondem a toda gestão pública federal, incluindo as estatais. Quando são considerados somente os órgãos da administração direta do Palácio do Planalto, o valor foi de R$ 761,4 milhões em 2013.

Mesmo esse número é considerado recorde, sendo o maior da última década e meia. A reportagem aponta que, de 2012 a 2013, os gastos subiram 7,2%, já descontada a inflação do período. O veículo mais utilizado pelo governo ainda é a televisão, com 65% do total. No entanto, o crescimento dos investimentos na internet chamam a atenção, com R$ 139 milhões, 22% a mais que em 2012.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Comunicação da Presidência da República justificou o aumento dizendo que "no ano passado, o Governo Federal apresentou novas campanhas de utilidade pública voltadas à prevenção de acidentes de trânsito, de combate ao uso do crack e de lançamento do programa Mais Médicos"
.

Programa Mais Educação contempla mais uma unidade de ensino em Sobradinho (BA)



O programa "Mais Educação", do Governo Federal, implantado no ano passado em oito escolas do município de Sobradinho, tem continuidade em 2104. Neste ano o programa incluiu mais uma unidade de ensino, a Escola Paulo Pacheco. O Programa já vinha sendo desenvolvido com sucesso no CELEM, CES, Escolas 24 de Fevereiro, Maria Ribeiro, MST, Maria Nilza, Geraldo Silva e São Sebastião. O Programa Mais Educação, instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007 e regulamentado pelo Decreto 7.083/10, constitui-se como estratégia do Ministério da Educação para induzir a ampliação da jornada escolar e a organização curricular na perspectiva da Educação Integral. As instituições de ensino passarão a oferecer aos alunos, no contra turno, oficinas de Educação Ambiental e Sociedade Sustentável, Promoção à Saúde, Esporte e Lazer, Uso de mídias, Acompanhamento Pedagógico (Matemática e Letramento), Capoeira, Brinquedoteca, além de disponibilizar alimentação.
No Plano de Atendimento Geral Consolidado, as escolas recebem recursos para ressarcimento aos monitores das oficinas e capital e custeio para a otimização do Programa. O Programa beneficiará 40 bolsista no município, pagos pelos presidentes das unidades executoras das escolas envolvidas, o que melhorará o ensino aprendizagem e desenvolverá o município. Os estudantes poderão escolher livremente as atividades que complementam a escolarização e o currículo obrigatório. "Essas atividades desenvolvidas na escola objetivam o aprofundamento e a complementação de conhecimentos previstos pelo currículo obrigatório. Com a implantação do "Mais Educação", a jornada escolar passa a ter duração igual ou superior a sete horas diárias, durante todo o período letivo, compreendendo o tempo total em que o aluno permanece na escola ou em atividades escolares em outros espaços educacionais.
O Programa Mais Educação se caracteriza por apresentar uma estratégia educacional inovadora que, dentre outros aspectos, articula projetos e programas do Governo Federal e de outras instituições educacionais e sociais, voltados para promoção do aumento da permanência dos alunos nas escolas. "Nos aderimos ao Programa "Mais Educação", por considerarmos a sua importância na expansão das oportunidades educativas, no compartilhamento da tarefa de educar entre professores, família, comunidade e outros atores na complementação do horário escolar com outras atividades educativas que ampliam as áreas de conhecimento, fazendo da escola um forte espaço de convivência", afirma o Prefeito de Sobradinho Luiz Vicente Berti.