Chico Ferreira: Chapa Dilma-Temer: Operação encontra indícios de que dono de gráfica seja laranja

Pesquisar este blog


.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Chapa Dilma-Temer: Operação encontra indícios de que dono de gráfica seja laranja


Chapa Dilma-Temer: Operação encontra indícios de que dono de gráfica seja laranja
Foto: Agência Brasil
A força-tarefa criada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encontrou nesta terça-feira (28), durante operação realizada em empresas contratadas pela campanha da chapa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB), indícios de que o suposto dono de uma das gráficas pode ser laranja. Segundo informações do jornal O Globo, o suposto empresário, que era responsável pela movimentação de quantias elevadas, não soube responder aos questionamentos dos investigadores. Foram 20 endereços de empresas e pessoas alvo de mandados de busca em São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina, incluindo as três gráficas contratadas: Rede Seg, Focal Confecção e Comunicação e VTPB Serviços Gráficos. As ordens judiciais foram expedidas pelo ministro Herman Benjamin, relator do processo ajuizado pelo PSDB no TSE, para a cassação da chapa Dilma-Temer. O endereço registrado como sede da Rede Seg Gráfica e Editora é uma sala comercial em um bairro da periferia de São Paulo. Segundo funcionários de outras salas, o local tem pouco movimento e fica fechado na maior parte do tempo. A sala também não tem identificação da Rede Seg no local. No térreo, há um depósito que seria usado pela Rede Seg para estocar material da gráfica, que tem como proprietário oficial um motorista da empresa, Vivaldo Dias da Silva. Já a Focal Confecção fica num galpão em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Ao contrário da Rede Seg, a Focal tem um letreiro na fachada grande movimento durante a eleição, segundo moradores da região. Assim como a outra empresa, a Focal teve em seu quadro societário um dos motoristas, Elias Silva de Matos. A defesa de Dilma se manifestou em nota contra a decisão e argumentam que não havia necessidade de buscas neste período de recesso do Judiciário. “Causa perplexidade que, decorridos quase dois anos de intensa investigação pelo TSE, seja proferida decisão judicial, a ser cumprida no período de recesso do Poder Judiciário e sem qualquer fundamento de urgência”, diz o comunicado. Já o presidente Michel Temer evitou tecer críticas a operação. Faz parte da investigação. Isso é natural, não há nenhuma irregularidade nisso. A investigação segue adiante com depoimentos, perícias, enfim, fatos como este que visam exatamente a instruir o processo que está no Tribunal Superior. Nenhuma preocupação”, disse.