Chico Ferreira: Se tiver gravações, Temer renuncia

Pesquisar este blog

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Se tiver gravações, Temer renuncia


  
Se as gravações confirmarem o que o Globo online antecipou, não resta nenhuma saída para o presidente Temer se não a renúncia. O quadro é gravíssimo. O Congresso não pode ficar silente frente a uma grandiosidade da denúncia. Neste cenário conturbado, o presidente nem o País aguentaria um novo processo de impeachment.  O clima em Brasília é de que o Governo acabou e que se tem urgentemente  buscar uma saída para o País: renúncia, impeachment ou diretas já.
A oposição, de imediato, apresentou um pedido de impeachment de Michel Temer com base no pedido de propina feito para manter o silêncio do preso Eduardo Cunha. Pediu celeridade no processo para que o Brasil fique livre dessa situação vergonhosa. Nesse momento em que surgem essas gravações, o Governo não tem legitimidade para continuar governando. Chegou ao ponto final. O ponto final, se não for dado pela sua própria renúncia, será feito pela Câmara e pelo Senado, através de um impeachment.
Líder do DEM na Câmara, o deputado Efraim Filho (PB) afirmou que não descarta a possibilidade de um processo de impeachment ser aberto contra o presidente Michel Temer após as notícias sobre a delação da JBS. Segundo ele, o Congresso agora tem que ter “serenidade” para avaliar os fatos que vieram à tona e dar respostas rápidas à sociedade. “A investigação irá dizer se houve infração à Constituição. Se houve a Constituição tem que ser seguida, conforme o rito a que foi submetida a ex-presidente Dilma Rousseff”, afirmou.
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, disse que ‘são estarrecedores’ os fatos noticiados por O Globo sobre uma suposta trama de obstrução de Justiça atribuída a Michel Temer. A sociedade precisa de respostas e esclarecimentos imediatos. Os cidadãos brasileiros não suportam mais conviver com dúvidas a respeito de seus representantes.
O que se espera agora é a divulgação das gravações que Joesley fez no Jaburu. As gravações citadas precisam ser tornadas públicas, na íntegra, o mais rapidamente possível. E a apuração desses fatos deve ser feita com celeridade, dando aos acusados o direito à ampla defesa e à sociedade a segurança de que a Justiça vale para todos, independentemente do cargo ocupado.